Sua Beatitude Dom Paulo Jorge de Laureano
(Mar Alexander I da Hispânea)

 

S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), nasceu no mês de Maria, sob a especial protecção do franciscano São Bernardino de Sena, na manhã de 20 de Maio de 1975, em Lisboa, numa família católica-romana, porém afastada dos serviços religiosos. Foram seus pais, o Sr. D. José Manuel da Conceição Laureano, e a Sr.ª Dona Maria Odília de Jesus Vieira Saragoça. É neto paterno do Sr. D. Júlio Laureano, e da Sr.ª Dona Rosa da Conceição Laureano; e neto materno do Sr. D. Manuel Vieira Saragoça, e da Sr. Dona Maria de Jesus Saragoça.
Desde pequeno, que se aproximou da fé cristã e da Igreja Católica Apostólica Romana, descobrindo qual o significado de servir a Deus e aos irmãos desde o sofrimento e pelo exemplo de todos acolher sem discriminações e marginalizações. Recebeu o Santo Sacramento do Baptismo na Igreja Católica Apostólica Romana, na manhã do dia 04 de Outubro de 1975, Festa Litúrgica de São Francisco de Assis, exemplo de humildade, tendo como Padrinho o seu tio-avô, o Sr. D. José Maria Laureano (único irmão varão do seu avô paterno), e como madrinha a sua prima, a Sr.ª Dona Rosa Maria dos Reis Laureano.

Assento de Baptismo

Momentos do Baptismo

Ainda criança, por volta dos nove anos de idade, começou a servir ao Altar de Cristo na Mesa do Santo Sacrifício, e à Igreja como sacristão e como acólito por mais de treze anos, na Paróquia de São Pedro de Penaferrim, em Sintra (aonde recebeu o Santo Baptismo, a Sagrada Comunhão e o Santo Crisma) estando como Pároco, o Reverendo Padre D. António David Lencastre Ribeiro da Silva (falecido em Janeiro de 2005), ex-monge beneditino do Mosteiro de Singeverga, Santo Tirso, e que recebeu a Sagrada Ordenação Presbiteral das mãos do então Bispo do Porto, Dom António Ferreira Gomes no ano de 1954, de quem recebe pela primeira vez a Sagrada Comunhão do Santíssimo Corpo e do Preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, na tarde de 14 de Abril de 1984.

Lembrança da Primeira Comunhão

Durante os anos em que permaneceu ao serviço na Paróquia, teve a oportunidade de conhecer pessoalmente a S.A.R. o Senhor Dom Duarte Pio João Miguel Gabriel Rafael de Bragança, Duque de Bragança e pretendente ao Trono Português, assim como aos seus irmãos, S.A.R. o Senhor Dom Miguel de Bragança, Duque de Viseu, e S.A.R. o Senhor Dom Henrique de Bragança, Duque de Coimbra, que de uma forma especial, marcaram a sua veia de monárquico e de defensor do restabelecimento da Monarquia em Portugal; assim como à grande fadista de renome internacional, a Senhora Dona Maria Teresa de Noronha, Condessa-consorte de Sabrosa, e ao seu esposo, o Senhor Dom António José de Guimarães Serôdio, Conde de Sabrosa, que foram das pessoas que mais marcaram na infância a personalidade de S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), pela sua extraordinária bondade, generosidade e exemplos cristãos.
Das várias visitas pastorais e pessoais que se realizaram na Paróquia de São Pedro de Penaferrim, teve a oportunidade de conhecer pessoalmente a Sua Eminência Reverendíssima Dom António Ribeiro, então Cardeal-Patriarca de Lisboa, falecido em 24 de Março de 1998. Homem de grande dignidade e honradez, que soube ser um exemplo de verdadeiro Pastor, marcando duma forma intensa todos aqueles que tiveram a honra e o prazer de o conhecer pessoalmente e de com ele privar. A título de curiosidade, gostaríamos de recordar que foi ele que esteve sentado ao lado do então Cardeal-Patriarca de Veneza, Dom Albino Luciani, quando da sua eleição para o Trono Romano de São Pedro, como S.S. João Paulo I, tendo ficado na sua posse a caneta usada por este no preenchimento dos votos durante esse primeiro Conclave de 1978, após o falecimento de S.S. Paulo VI, no qual foi canonicamente eleito.
Na tarde do dia 25 de Maio de 1991, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), recebeu o Santo Sacramento da Confirmação das mãos de Dom António dos Reis Rodrigues, então Bispo Titular de Madarsuma, Auxiliar do Patriarcado de Lisboa e Vigário-Geral, com quem sempre teve uma óptima relação, quer quando este se deslocava à Paróquia para aí administrar algum Sacramento, ou quando por ele era acolhido com carinho e afecto nos encontros de catequese organizados pela Vigararia de Sintra.

Certidão de Baptismo e Crisma

Quando ainda muito jovem, por volta dos nove anos de idade, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), começou a despertar para a vocação religiosa e sacerdotal, decidindo-se pela Ordem dos Irmãos Pregadores (dominicanos), pelo grande amor que nutre pela Pregação do Santo Evangelho e pelo carisma específico da Ordem, assim como pelo modo e exemplo de vida das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, que tinham na altura a Casa Geral da Congregação, na Quinta do Ramalhão, perto da residência de seus pais, sendo as primeiras religiosas a mostrar o modo de ser dos filhos e filhas de São Domingos de Gusmão. Foi ali, na então Casa Geral da Congregação Portuguesa das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena, fundadas por Santa Teresa Rosa Fernanda de Saldanha Oliveira e Sousa, OP, que descobriu a sua vocação religiosa e sacerdotal. Conheceu nessa época com grande estima, a então Reverendíssima Superiora Geral, Madre Maria de São João de Brito, OP, que sempre o acolheu com afecto e estima, sempre que frequentava as orações do Ofício Divino e da Santa Missa, ou quando passeava pela Quinta com algumas das religiosas, como a bondosa e santa, Irmã Maria de São Miguel, OP, ou a Reverenda Madre Maria de São Paulo, OP, entre outras, quer para desfrutar da beleza paisagística da quinta, quer para rezar ou meditar, assim como a Madre Teresa Carvalho, OP, (então superiora do Colégio de São José e Vigária-Geral da Congregação), assim como a que veio posteriormente a ser Superiora Geral da Congregação, a Reverendíssima Madre Manuela dos Anjos, OP. Foi ali, na Casa Geral que conheceu alguns dos muitos dominicanos que o marcaram na vida: o Reverendo Padre Frei Domingos Martins, OP (então Capelão da Casa Geral e que esteve presente no seu Crisma); o Reverendo Padre Frei Juan José Gallego Salvadores, OP (que viria a ser o seu primeiro Prior Provincial em Portugal); o Reverendo Padre Frei Mateus Cardoso Peres, OP (então Conselheiro Geral do então Mestre da Ordem dos Irmãos Pregadores - Reverendíssimo Padre Frei Damian Byrne, OP - e que posteriormente seria o seu segundo Prior Provincial em Portugal); ou mesmo o Reverendo Padre Frei Raimundo, OP (grande biblista já falecido).
Por ocasião do IX Centenário da Sé Arquiepiscopal e Primacial de Braga, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) conseguiu estar presente nas Comemorações e na Celebração da Santa Missa e no Rito de Ordenações, juntamente com alguns amigos Missionários Combonianos (fundados por São Daniel Comboni), entre eles o Reverendo Padre Dário Balula Chaves. Foi nessa ocasião, na conhecida cidade dos Arcebispos, que teve o prazer de conhecer pessoalmente o então Arcebispo-Primaz de Braga, Dom Eurico Dias Nogueira; ao Dom Frei Hermano Vasco Villar Cabral da Câmara, assim como ao actual Arcebispo-Primaz de Braga, Dom Jorge Ferreira da Costa Ortiga, então Bispo-Auxiliar; e igualmente o Reverendo Cónego Monsenhor Eduardo de Melo, pela sua postura e até pela sua amabilidade, embora sempre muito polémico. Pela mesma altura, conheceu Dom António Ramos Monteiro, então Bispo de Viseu, numa cerimónia de Votos Perpétuos nos Missionários Combonianos, na cidade de Viseu.
Antes e após entrar na Ordem dos Irmãos Pregadores, na Província de Portugal, teve o prazer de ainda conhecer pessoalmente e de com eles privar muito de perto, a alguns dos ilustres dominicanos portugueses e espanhóis, como: o Reverendo Padre Frei Alfonso Romano, OP (da Província Dominicana de Aragón – Espanha, mas assignado ao Convento de Fátima); o Reverendo Padre Frei Clemente de Oliveira, OP (especialista ilustre da língua latina, que traduziu os «Lusíadas» de Luíz Vaz de Camões, para o Latim); o Reverendo Padre Frei Estêvão de Oliveira, OP (grande pregador do rosário); o Reverendo Padre Frei Luís Cerdeira, OP (director do Rosário de Maria); o Reverendo Padre Frei Raúl Rolo, OP (postulador da causa de Beatificação do dominicano e Arcebispo-Primaz de Braga, D. Frei Bartolomeu dos Mártires, beatificado pelo Papa João Paulo II); o Reverendo Padre Lourenço Maria da Rocha Creoulo, OP (grande pregador e amigo dos pobres já falecido com fama de santidade entre aqueles que lhe foram próximos e que com ele privaram); o Reverendo Padre Frei António do Rosário, OP (grande historiador da Ordem Dominicana e dos Dominicanos em Portugal e no mundo); o Reverendo Padre Frei João de Oliveira Faria, OP (amigo da obra dos pobres, poeta, e investigador oficial do Patriarcado de Lisboa acerca das aparições na Ladeira do Pinheiro, que na década de 90 quase chegou a ter o desprezo de quase todos os irmãos conventuais); o Reverendo Padre Frei Rogério Guedes de Amorim, OP (missionário em Moçambique); o Reverendo Padre Frei Tomás Maria Videira, OP (grande pregador do rosário e muito devoto de Maria); o Reverendo Padre Frei Miguel de Burgos Nuñes, OP (grande biblista e professor de Sagrada Escritura), e o Reverendo Padre Frei Luis Pavón, OP, entre outros.
Durante o tempo de Postulantado, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), teve o prazer de assistir na Santa Missa como acólito e de jantar com o então Bispo Auxiliar do Porto, Dom José Augusto Martins Fernandes Pedreira, assim como acolitar a pedido do Prior Provincial, Reverendo Padre Frei Mateus Cardoso Peres, OP à Santa Missa da Ordenação Presbiteral do Frei Francisco Leonardo Raposo Rivera Martins de Carvalho, OP e do Frei José Virgílio Saldanha Caldeira Firmino, OP, presidida Dom Manuel de Almeida Trindade, Bispo Emérito do Aveiro. Conheceu também, na nessa mesma época, o então Arcebispo-Bispo do Porto, Dom Júlio Tavares Rebimbas; ao então Reitor do Seminário Diocesano do Porto e hoje Bispo Auxiliar do Porto, Dom António Maria Bessa Taipa, assim como ao então Arcebispo de Nampula - Moçambique, Dom Manuel da Silva Vieira Pinto, assim como ao então Pároco da Igreja do Marquês, e hoje Bispo Titular de Belali e Oficial do Conselho Pontificio para a Cultura, o Dom Carlos Alberto de Pinho Moreira Azevedo. Outra grande figura da Igreja portuguesa que marcou a sua personalidade, foi o Reverendíssimo Senhor Dom-Abade Gabriel de Sousa, então Abade do Mosteiro Beneditino de Singeverga, pela sua rectidão e exemplo de zeloso Pastor. Foi ainda durante o postulantado, que conheceu pessoalmente o Mosteiro Beneditino de Singeverga, assim como privou com alguns dos Monges de então, tais como: o Reverendíssimo Senhor Dom Lourenço (ex-Abade de Singeverga), e o Reverendíssimo Dom-Abade Luis Bernardo Sacadura Botte Aranha (ex-Abade de Singeverga).

Enquanto postulante dominicano, pôde conhecer ainda algumas cidades de espanholas e francesas, tendo estado em peregrinação na Basílica de Nossa Senhora do Pilar, em Zaragoza - Espanha; no Mosteiro Beneditino de Montserrat, Barcelona - Espanha; no que resta da velha Abadia Cisterciense de Cluny - França; na Comunidade Ecuménica de Taizé – Província de Borgonha - França, fundada pelo Irmão Roger Schutz (Pastor Calvinista), a quem conheceu pessoalmente, rezando e recebendo várias vezes a bênção e a imposição de mãos, marcando-o profundamente pelo seu espírito ecuménico, acolhedor e de intimidade com Deus; no Santuário de Lourdes - França; no Mosteiro de Paray le Monial - França, aonde viveu Santa Margarida Maria Alacoque e aonde teve as suas «visões»; a Paróquia de Ars - França, aonde viveu e foi Pároco por mais de quarenta anos, São João Maria Vianney, assim como à sua casa e os arredores paroquiais. Foram viagens inesquecíveis, quer pela beleza paisagística, quer pela beleza espiritual que S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) pode adquirir.

Seminarista Dominicano

Já durante o Ano de Noviciado, teve o prazer de conhecer pessoalmente ao então Arcebispo de Sevilla, Dom Frei Carlos Amigo Vallejo, franciscano, e mais tarde Cardeal-Presbítero de Santa Maria in Monserrato degli Spagnoli, quando da celebração da Abertura do Ano Académico no Centro de Estudos Teológicos de Sevilla, no Palácio de São Telmo, assim como a Dom Alberto Iniesta Jiménez, Bispo Titular de Tubernuca e Auxiliar de Madrid, que foi a Sevilla presidir a várias palestras e colóquios teológicos, para os religiosos, seminaristas e estudantes.
O Senhor Professor D. Paulino Castañeda Delgado, Sacerdote Diocesano de Madrid, ex-Capelão Militar, Professor Catedrático de História e grande historiador da história da América e da Inquisição (falecido em 20 de Agosto de 2007), foi padrinho de S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), na sua Tomada de Hábito Dominicano em 12 de Outubro de 1996, assim como seu grande amigo e conselheiro, acerca do estilo de vida de alguns dominicanos do convento de noviciado e do que era essencialmente importante para a verdadeira vida como religiosos e sacerdotes. Foi igualmente durante o Noviciado, que teve a oportunidade de visitar algumas cidades espanholas, assim como locais de grande interesse histórico e religioso.
A visita à cidade de Córdoba, de beleza extraordinária, onde teve a oportunidade de visitar a Mesquita-Catedral e a Igreja de São Paulo, aonde se encontra o túmulo com os restos mortais do grande dominicano Beato Francisco de Posadas, OP, junto dos quais pode rezar fervorosamente, pedindo a bênção para toda a Ordem Dominicana e para toda a Hispânea; o Convento Dominicano de Scala Coeli, em plena Serra de Córdoba, fundado pelo dominicano São Álvaro de Córdoba, OP e aonde viveu o Beato Francisco de Posadas, OP. Ali, naquele lugar de grande espiritualidade, teve a extraordinária oportunidade de ficar duas semanas, em completo silêncio e contemplação.
A visita à cidade de Cádiz, ao Convento de S. Domingos de Cádiz, à Catedral e às praias magníficas. A visita à magnífica cidade de Granada, aonde pôde visitar a célebre Alambra, do Imperador Carlos V, assim como a Catedral e os túmulos dos Reis Católicos - Fernando e Isabel, assim como o túmulo do Príncipe Português. Mais inesquecíveis foram os dias passados no Convento da Santa Cruz la Real, convento no qual viveu o grande padre dominicano Frei Luis de Granada, OP. Foi igualmente ali em Granada, que numa Igreja da Ordem dos Irmãos Hospitaleiros de São João de Deus, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) pode visitar a Arca de Prata aonde se encontram os restos mortais do grande Santo Português, São João de Deus, fundador da Ordem, que passou a sua vida dedicando-se aos mais pobres, miseráveis e doentes.
A visita à capital espanhola - Madrid - foi uma viagem rápida mas bastante interessante, especialmente na visita à Catedral e ao Museu do Prado. Dali, foi para a cidade de Burgos, aonde visitou a Catedral na qual São Domingos de Gusmão foi Ordenado Sacerdote e mais tarde se tornou Cónego Capitular, antes de fundar a Ordem Dominicana. É de salientar as marcas ainda existentes da passagem de São Domingos, como a marcação do seu lugar no Coro dos Cónegos. Pôde igualmente visitar o Seminário Diocesano no qual São Domingos estudou e o Convento dos Agostinhos, no qual segundo a tradição ele viveu durante algum tempo. A marca mais importante foi a viagem a Caleruega, local aonde nasceu São Domingos pelo ano de 1070-1075. O facto de estar alguns dias no Convento construído nas ruínas do Castelo dos Guzmán, família de São Domingos; a visita à adega que se conserva tal qual a original, a visita à Igreja Paroquial que se conserva tal qual era no tempo de São Domingos, e aonde ele recebeu o Santo Sacramento do Baptismo; a visita ao Mosteiro das Monjas Dominicanas (construído na área do Castelo), aonde se encontra a fonte que nasceu no lugar onde nasceu São Domingos (segundo a tradição); assim como o lugar aonde se encontra o túmulo do Mestre Geral da Ordem dos Irmãos Pregadores, o Reverendíssimo Padre Frei Manuel Suárez, OP, grande impulsionador e reformador da Ordem.
A Torre da família Guzmán ainda existe e está conservada como era no tempo de São Domingos, na qual pôde entrar e subir até ao topo, podendo contemplar a magnífica paisagem e o céu azul, qual São Domingos no seu tempo.

Torre

Nessa altura, pôde visitar a Abadia Beneditina de Santo Domingo de Silos, em Burgos, na qual o Beata Joana d' Aza, mãe de São Domingos, foi rezar junto ao túmulo de São Domingos de Silos. Teve o prazer de ser recebido pelo Mestre de Noviços da Abadia, assim como pelo Reverendíssimo Dom-Abade Clemente.

Abadia de Silos

Teve a oportunidade de visitar algumas partes da Abadia e de contactar com alguns Monges e Noviços, assim como visitar o claustro e o antigo túmulo de pedra aonde se encontrava antigamente o corpo de São Domingos de Silos e junto ao qual a mãe de São Domingos de Gusmão rezou. Foi deste grande Santo que Domingos de Gusmão recebeu o seu nome, pela devoção de sua mãe. Pôde desta forma, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), tocar e rezar junto ao túmulo antigo. Nessa mesma tarde, pôde participar no Ofício de Vésperas presidido pelo Reverendíssimo Dom-Abade Clemente, assim como participar na oração e litania final junto à Arca de Prata aonde se encontram actualmente os restos mortais de São Domingos de Silos, num Altar lateral ao fundo da Igreja.
Foi com alegria que, esteve presente na segunda visita de S.S. João Paulo PP II a Portugal, tendo a oportunidade de o ver de perto e testemunhar a sua fervorosa oração, quer na celebração da Santa Missa, quando da sua chegada a Lisboa, no Estádio do Belenenses, em Belém, quer quando das celebrações no Santuário de Fátima, tendo a oportunidade de estar nos vários encontros perto de Sua Santidade. Foi igualmente no Santuário de Fátima, que pôde encontrar pessoalmente ao então Cardeal-Arcebispo de Luanda - Angola, Dom Alexandre do Nascimento, ao então Bispo de Angra do Heroísmo, Dom Aurélio Granada Escudeiro, assim como a Dom Serafim de Sousa Ferreira e Silva, então Bispo de Leiria-Fátima (grande amigo dos dominicanos portugueses). Foi igualmente ali que teve a honra de conhecer pessoalmente ao sacerdote italiano, Reverendo Padre João de Marchi, que implantou em terra mariana o Instituto dos Missionários da Consolata (fundados por São José Allamano, em Turim), em Portugal, já falecido, quando duma experiência missionária no Instituto.
Em Lisboa, teve a oportunidade de conhecer ao então Núncio Apostólico em Portugal, Dom Salvatore Asta, Arcebispo Titular de Aureliopolis in Lydia, na Sagrada Ordenação Diaconal do Reverendo Padre Frei Luis Miguel Teixeira Patinha, OP, assim como a Dom Frei António Francisco Marques, OFM, então Bispo de Santarém, e a Dom Maurílio Jorge Quintal de Gouveia, então Arcebispo de Évora, na Ordenação Presbiteral do Reverendo Padre Frei Mário Rui Marçal, OP.
Após, abandonar de livre vontade a Ordem dos Irmãos Pregadores e a Jurisdição Canónica da Igreja Católica Apostólica Romana, quer pelas mentiras, marginalizações e imoralidades presenciadas na Ordem e na Igreja, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), entrou em contacto com vários Bispos portugueses e estrangeiros, tendo mantido contacto com o Ex-Bispo de Evreux, Dom Jacques Jean Edmond Georges Gaillot, Bispo Titular de Partenia, pelo cúmplice sentimento em relação aos marginalizados e esquecidos da sociedade e da Igreja.
No mês de Outubro de 1998, conheceu a Dom António José da Costa Raposo, Arcebispo-Primaz da Igreja Apostólica Episcopal Portuguesa (que se apresenta como sendo Velho-Católica). Tendo frequentado cerca de dois anos os serviços de culto, chegando mesmo a pedir a admissão na jurisdição e a Sagrada Ordenação, porém, na busca da verdadeira Fé Cristã e cansado de contradições e oportunismos, converte-se à Fé Ortodoxa em finais de 1999. Mesmo assim, foi durante esses dois anos, que conheceu pessoalmente a Dom Olinto Ferreira Pinto Filho, Bispo do Rio de Janeiro e Primaz da Igreja Católica Apostólica Brasileira (que chegou a ser secretário pessoal de Dom Carlos Duarte Costa (São Carlos do Brasil), e a Dom Josivaldo Pereira de Oliveira, numa das suas viagens a Portugal, assim como a Dom Rainer Laufers, Arcebispo do Canadá da Igreja Velho Católica Apostólica Independente. Foi igualmente ali, que teve o prazer de conhecer a grande actriz do teatro português, Sr.ª Dona Eunice Muñoz, assim como ao Reverendo Padre Leonel Alexandre Bonito, Presbítero da Igreja Ortodoxa Autocéfala de Constantinopla (Patriarcado Ecuménico de Constantinopla), durante o jantar do 52º aniversário de Dom António Raposo, na Rinchoa.
S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), havia conhecido a S.B. Dom Juan Ignácio Cariaga y Cariaga, quando este se encontrava a viver no Paço Episcopal juntamente a Dom António Raposo (na Igreja Apostólica Episcopal Portuguesa), e concelebrava com ele, o que aconteceu variadíssimas vezes. Porém, por várias razões não relevantes, S.B. Dom Juan Ignácio saiu do lugar onde se encontrava e seguiu para Vila Nova de Poiares. Nessa altura, dois Bispos ordenados ao Episcopado por Dom António Raposo: Dom Delberto Constantino Araújo de Aguiar (que chega a Arcebispo de Lisboa e Vigário-Geral da Igreja Apostólica Luso-Hispânica) e Dom Luís Manuel dos Reis Gonçalves (que posteriormente também é incardinado na mesma Jurisdição), abandonam a Jurisdição da Igreja Apostólica Episcopal Portuguesa e colocam-se sob o a Protecção Canónica do S.S. Viktor Ivan Busa (Prof. Doutor Vittorio Giovanni María Busa), IIº Patriarca da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo) assim como a totalidade do clero e muitos dos fiéis, desagradados pela situação reinante.
S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), estabelece igualmente nessa altura contacto com o Padre Dom Isidoro Maria de la Santa Faz y de la Cruz (no século Dr. Manuel Alonso Corral), então Bispo e Cardeal da Igreja Católica Apostólica e Palmariana
, posteriormente S.S. Pedro II, já falecido. A Igreja Católica Palmariana foi fundada pelo já falecido Bispo Clemente Dominguez y Gomez em 06 de Agosto de 1978, quando se assume como «Papa Palmariano» com o nome de Sua Santidade Gregório XVII, figura que teve o prazer de conhecer no tempo em que viveu em Sevilla, nos anos de 1996-1997, visto a antiga residência e Sede da Igreja ficar na mesma rua da sua residência (Calle San Vicente).
S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), acaba por ser recebido nos princípios de Fevereiro de 2000 na Igreja Apostólica Luso-Hispânica (Patriarcado Ortodoxo Russo no Exílio - Ortodoxo Bielorrusso Eslavo), debaixo da Autoridade Apostólica de Sua Santidade Viktor Ivan Busa (Prof. Doutor Vittorio Giovanni María Busa), IIº Patriarca da Igreja Ortodoxa Bielorussa Eslava, recebendo a Sagrada Consagração Monástica na Ordem dos Cistercienses da Reconciliação, na noite de 11 de Fevereiro de 2000, na pequena Capela do recente Mosteiro de São Bento, em Vila Nova de Poiares, consagrando-se totalmente ao Senhor Jesus Cristo na Santa Ortodoxia, ao receber a Santa Unção e o Hábito Cisterciense das mãos de S.B. Dom Juan Ignacio Cariaga y Cariaga, Arcebispo-Primaz da Igreja.
Mais tarde, na manhã de 13 de Fevereiro de 2000, pelas 11 horas, recebe a Sagrada Ordenação Diaconal e é elevado à dignidade de Assistente do Trono Primacial, igualmente por S.B. Dom Juan Ignacio Cariaga y Cariaga, estando presentes alguns membros do clero da Jurisdição e muitos fiéis.

Bula da Ordenação Diaconal

Na semana seguinte à Ordenação Diaconal aconteceram alguns problemas e algumas situações desagradáveis que fizeram questionar S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), acerca das actividades de S.B. Dom Juan Ignacio Cariaga y Cariaga, assim como acerca da sua personalidade e forma de ser. Porém, mesmo assim, recebe das suas mãos a Sagrada Ordenação de Presbítero, na manhã de 20 de Fevereiro de 2000, pelas 11 horas, na Igreja de Santa Maria do Juncal, em Alcobaça.

Bula da Ordenação Presbiteral

Momentos da Ordenação

Algum tempo depois, após ter sido informado de algumas situações desagradáveis, assim como ter recebido cópias de alguns documentos duvidosos que relatavam factos que saíram na comunicação social, resolve abandonar livremente a Jurisdição, mas manteve durante algum tempo contacto com S.B. Dom Juan Ignacio, embora tenha vindo a perdê-lo definitivamente em 2002, salientando a sua bondade e o seu acolhimento amável, mesmo no meio de muitos problemas.
Após abandonar a Jurisdição, volta a ficar sozinho mas sem desistir nem por um milímetro da sua missão e do seu chamamento monástico e sacerdotal. Por essa razão, no dia 19 de Fevereiro de 2001, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), visita na qualidade de Sacerdote, ao Arcebispo-Primaz da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, D. Armando da Costa Monteiro, sendo recebido por este amavelmente, expondo de uma forma franca e leal a sua situação pessoal e humana, como tinha feito com S.B. Dom Juan Cariaga. No dia seguinte, entrega nas suas mãos o Pedido de Incardinação na Igreja e as cópias de toda a documentação eclesiástica necessária. Foi assim, desta forma, que se Incardinou como Presbítero na Igreja Apostólica Católica Ortodoxa.

Despacho Eclesiástico

Celebrou a sua primeira Missa no Santuário de Nossa Senhora das Lágrimas, na tarde de 10 de Março de 2001, após receber a devida autorização canónica pelo despacho de 02 de Março de 2001, tendo vindo a concelebrar pela primeira vez com o D. Armando da Costa Monteiro, na tarde de 15 de Abril de 2001, quando fez o seu Juramento de Obediência e foi recebido oficialmente na Igreja.

Concelebração

No dia 01 de Maio de 2001, após uma viagem ao Santuário de Fátima visitou na companhia de alguns amigos o Santuário de Nossa Senhora das Graças, pertencente à Fundação de Maria da Conceição Mendes Horta e Humberto Horta, que se encontrava na altura unida à Igreja Católica Ortodoxa de Portugal, que pouco tempo antes, em 2000, havia sido “excomungada” por S.B. Sawa de Varsóvia, Metropolita Primaz da Igreja Ortodoxa Autocéfala da Polónia (de quem era uma Província Eclesiástica desde 1988), por algumas das atitudes do actual Metropolita-Primaz, S.B. Dom João I (Mário Manuel Lopes Ribeiro), Arcebispo de Braga e Lisboa, e Metropolita Primaz. Não foi possível encontrar nesse dia a Madre Abadessa, por escassez de tempo, a Madre Maria da Conceição Mendes Horta, só a tendo conhecido pessoalmente mais tarde, numa outra visita, juntamente com o D. Armando da Costa Monteiro, em 2002, tendo visitado igualmente o Santuário-Catedral de Nossa Senhora das Graças e o túmulo do Arcebispo Metropolita São João Gabriel (Dr. Eduardo Henrique Pinto da Rocha), Reformador da Ortodoxia na Península Ibérica, falecido em 1997, e fundador da Igreja Católica Ortodoxa de Portugal.
Na tarde do domingo, 17 de Junho de 2001, recebe "sob-condição" a Sagrada Ordenação Presbiteral, das mãos de D. Armando Costa Monteiro, assistido pelo Padre Amador de Sousa José, não por existirem dúvidas acerca da validade da Ordenação Episcopal de S.B. Dom Juan Ignacio Cariaga y Cariaga, mas por não existirem então em nosso poder documentos da validade da mesma, embora S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) tenha tido nas suas mãos a Bula original de Ordenação Episcopal, conferida por S.S. Viktor Ivan Busa (Prof. Doutor Vittorio Giovanni María Busa), IIº Patriarca da Igreja Ortodoxa Bielorussa Eslava. Na mesma ocasião foi nomeado Capelão-Auxiliar do Reitor do Santuário de Nossa Senhora das Lágrimas, por seis meses renováveis.

Ordenação Presbiteral "sub-condição"

Oração Consecratória

Despacho de Capelão

No dia seguinte é nomeado Secretário do Departamento Social da Igreja, e em 20 de Junho do mesmo ano, é nomeado representante da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, na Comissão de Tempo das Confissões Religiosas, na Rádio Televisão Portuguesa.

Documentos respectivos

Enquanto representante da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa na Comissão de Tempo das Confissões Religiosas na RTP, teve o prazer de conhecer pessoalmente ao Meritíssimo Juiz-Conselheiro, Doutor José Manuel Dias Bravo, Ex-Vice Procurador Geral da República Portuguesa e Presidente Honorário da Aliança Evangélica Portuguesa; ao então Presidente do Conselho de Administração da RTP, Dr. Emídio Rangel; ao Bispo Diocesano da Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica (Membro da Comunhão Anglicana), Dom Fernando da Luz Soares; e ao então Presidente do Conselho de Administração da RTP, Dr. João Carlos Silva.
Em 01 de Janeiro de 2002, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) é nomeado Chefe de Gabinete do Arcebispo-Primaz da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa.

Despacho como Chefe de Gabinete

Em 29 de Junho de 2002, recebe a seu pedido a Consagração e Tonsura Monástica, segundo a Regra de São Basílio, das mãos do Arcebispo-Primaz, recebendo o Nome Religioso de “Alexander”.

Bulas respectivas

Em 08 de Dezembro de 2002, em plena Celebração da Santa Missa segundo o Rito de São Martinho de Dume, é nomeado pelo Arcebispo D. Armando Monteiro, Chanceler da Cúria Primacial da Ibéria com o título de “Monsenhor” e elevado à dignidade de Prelado Doméstico da Casa Arquiepiscopal e Primacial da Hispânea.

Bulas respectivas

Momentos da Celebração

Em 06 de Maio de 2003 assiste à Ordenação de Subdiácono do Sr. Humberto Jorge Pereira Rolo, das mãos de D. Armando da Costa Monteiro. Entre Maio e Junho de 2003 assiste à Ordenação de Subdiácono do Sr. Nuno Palma. Em 29 de Junho do mesmo ano assiste à Consagração Monástica do Padre-Subdiácono Humberto Rolo na Ordem de São Basílio Magno e a 03 de Agosto do mesmo ano assiste à sua Ordenação de Diácono pelo Arcebispo Primaz da Ibéria, com a assistência do Padre-Subdiácono Nuno Palma.
Em 15 de Agosto de 2003, é nomeado Membro Fundador da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, com assento no Santo Sínodo, pelo Arcebispo-Primaz.
Em 24 de Agosto de 2003, assiste à administração do Santo Crisma ao Sr. Álvaro José Miguel Gomes Duarte, e em 31 de Agosto de 2003 à sua Consagração Monástica e Ordenação de Subdiácono, das mãos de D. Armando da Costa Monteiro.
Em 14 de Setembro de 2003, é elevado e abençoado como Arquimandrita da Ordem de São Basílio, pelo Arcebispo-Primaz.

Bula de Arquimandrita

Em 08 de Dezembro de 2003, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) é Eleito para o EPISCOPADO, para a Arquidiocese de Santo André - São Paulo - Brasil, vindo a aceitar a Eleição ao Episcopado em 20 de Dezembro de 2003, perante o clero e o povo reunido, durante a Celebração da Santa Eucaristia, durante a qual recebe as vestes episcopais inerentes ao cargo para o qual tinha sido eleito e é coberta a sua cabeça com o solidéu episcopal.

Profissão de Fé

Entre meados de 2003 e o primeiro trimestre de 2004, a falta de vivência cristã, o ambiente hostil entre clérigos e mesmo entre fiéis, muitas vezes com o consentimento e a iniciativa do próprio Arcebispo; as disputas e as intrigas vividas dentro da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa eram mais que muitas, o que levou ao pronto afastamento do então Padre Amador de Sousa José (em Fevereiro), e do Padre-Subdiácono Álvaro José Miguel Gomes Duarte "Marcos" (em 15 de Fevereiro).
No domingo, 15 de Fevereiro de 2004, em plena Eucaristia Dominical, o então Chanceler Apostólico Monsenhor Paulo Jorge de Laureano, assiste ocularmente a um enorme escândalo público na Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, quando o próprio Arcebispo Primaz Dom Armando da Costa Monteiro, tem manifestações de carácter espírita (psicopraxia) "recebendo a incorporação do Padre Pio de Pietrelcina" durante o momento da Oração Eucarística até ao final da Oração Pós-Comunhão, chegando mesmo a dar "mensagens".
Esse grave acto de apostasia e heresia foi presenciado pelo clero presente (para além do Chanceler Apostólico; o Padre-Diácono Humberto Rolo "Aloysius", e o Padre-Subdiácono Nuno Palma) e pelos fiéis (entre eles: Dª Angelina dos Santos; Dª Maria de Lourdes Rodrigues Lemos, etc.), no qual existiu profanação e desrespeitando à santidade do lugar de culto.
Após grandes sacrifícios mas cansado de humilhações, calúnias, mentiras, jogos duplos e de bastidores, provocações e atitudes déspotas e autoritárias sem fundamento, no início de Março de 2004, o então Monsenhor Paulo Jorge de Laureano, assim como alguns fiéis abandonaram de livre vontade a comunidade por saberem que aquele acto de apostasia e heresia iria contaminar e abranger todos aqueles que nele comungassem.

S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) coloca-se de livre e espontânea vontade, fora da obediência ao apóstata e herege sr. Armando da Costa Monteiro, "arcebispo-primaz" da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, fundando com um grupo de fiéis, amigos, colaboradores e admiradores, a Igreja Católica Apostólica Episcopal Luso-Hispânica. Nessa ocasião, foi reeleito canonicamente ao EPISCOPADO e aclamado por todos os Irmãos Fundadores presentes, como Primeiro Arcebispo de Lisboa, Metropolita de Braga e Toledo, e Primaz da Hispânea, e eleito por unanimidade Presidente Vitalício do Santo Sínodo Primacial e da Igreja Católica Apostólica Episcopal Luso-Hispânica.

Mandato Apostólico

Em Maio de 2004, cria a sua Página Pessoal na Internet na qual coloca todos os documentos públicos que provam a veracidade das suas palavras, do seu Curriculum Eclesiástico e da validade das suas ordenações e nomeações, assim como dos Bispos Ordenantes, como as fotos, as opiniões e comentários que marcam a sua personalidade e a forma de vida da Igreja Católica Apostólica Episcopal Luso-Hispânica, assim como algumas notícias relevantes.
Em 07 de Novembro de 2004, juntamente com alguns fiéis, foi em Peregrinação ao Túmulo do Reverendo Padre São Miguel Pereira, à pequena aldeia do Soito – Concelho do Sabugal – Distrito da Guarda, Sacerdote da Igreja Católica Apostólica Romana que faleceu com fama de santidade em 01 de Novembro de 2001, embora tenha passado durante bastante tempo algumas dificuldades canónicas. Ao longo da sua vida a todos acolheu com amabilidade e amor cristão, tendo sido operado por sua intercessão grandiosos milagres, segundo os relatos de alguns fiéis. Mais tarde, foi visitar a Covilhã e a preciosa Serra da Estrela, a maior de Portugal Continental, com 2000 metros de altitude.

Junto ao túmulo

Em 21 de Fevereiro de 2005, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), preside canonicamente ao Primeiro Santo Sínodo da Igreja Católica Apostólica Episcopal Luso-Hispânica, para o qual foram convocados todos os Membros efectivos da Jurisdição Canónica, que passou a designar-se como “Igreja Católica Ortodoxa Hispânica". Neste Primeiro Santo Sínodo da Igreja, recebeu pela vontade e voto unânime dos seus Membros presentes, reunidos em nome de Deus, de Jesus Cristo Nosso Senhor, e da acção do Espírito Santo Paráclito, na qualidade de Presidente Vitalício da Santa Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, a designação de Arcebispo Titular de Sevilla, Metropolita de Todo o Brasil, e Primaz Katholikos da América Latina, em consequência da intenção de expansão da Igreja no Mundo, o que aceitou em obediência às decisões do Santo Sínodo da Igreja. Assim, como verdadeiro Bispo Presidente da Jurisdição Canónica, assumiu em obediência, os Títulos Eclesiásticos de Arcebispo de Lisboa e Titular de Sevilla, Metropolita de Braga e Toledo e de Todo o Brasil, e Primaz Katholikos da Hispânea e América Latina, inerentes ao seu cargo de acordo com a decisão do Primeiro Santo Sínodo da Igreja.

Promulgação do Sínodo

Erige a Ordem Monástica de São Basílio (São Basílio Magno da Hispânea), por Decreto Primacial A036/GP, em 15 de Junho de 2005, tendo como regra de vida comum, a Regra de Vida de Santo Agostinho.

Em 02 de Abril de 2006, o Sr. Fernão Manuel Canhão Marques Gomes é recebido oficialmente na Igreja Católica Ortodoxa Hispânica em plena Reunião do Santo Sínodo da Igreja, após a sua Profissão de Fé e Juramento de Obediência.

Profissão de Fé

Dada a urgente necessidade da Igreja que S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) recebesse a Sagrada Ordenação Episcopal, foi feito o convite formal a Dom Delberto Constantino Araújo de Aguiar, Arcebispo de Lisboa e Vigário-Geral da Igreja Apostólica Luso-Hispânica (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo), para que se dignasse Sagrá-lo ao Episcopado para a Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, como Bispo válido, legítimo e canónico, transmitindo-lhe as suas Linhas de Sucessão Apostólica. Igualmente foi convidado a ser Co-consagrante, Dom Luís Manuel dos Reis Gonçalves, Arcebispo Titular de Lusitânia e Vigário-Geral em Portugal da Igreja Universal Ortodoxa Eslava (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo).
Aos 09 de Julho de 2006, assiste à Sagrada Ordenação Diaconal para a Igreja Católica Ortodoxa Hispânica do Sr. Fernão Manuel Canhão Marques Gomes, das mãos de Dom Delberto Constantino Araújo de Aguiar, Arcebispo de Lisboa e Vigário-Geral da Igreja Apostólica Luso-Hispânica (Patriarcado Ortodoxo Russo no Exílio), a pedido e com a assistência do Arcebispo Primaz Katholikos, do Padre Amador de Sousa José, assim como membros do Santo Sínodo Primacial.

Momentos da Ordenação

A Sagração Episcopal segundo o Pontifical Latino de Paulo VI decorreu em Lisboa, no dia 06 de Agosto de 2006, Festa da Exaltação da Santa Cruz tendo presente o clero da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, assim como fiéis, convidados, amigos e familiares.

Mandato Apostólico

Bula de Sagração Episcopal

Acta da Sagração Episcopal

Momentos da Ordenação

No dia 22 de Outubro de 2006, pelas 12 horas, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), procedeu à Ordenação Presbiteral do Sr. Fernão Marques Gomes, então Vigário Primacial da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, que na mesma ocasião foi elevado a «Monsenhor».

Momentos da Ordenação

Em 20 de Maio de 2007, pelas 16 horas em Lisboa, dia em que S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) cumpria 32 anos de idade, procedeu à Sagrada Ordenação Episcopal do Sr. Fernão Manuel Canhão Marques Gomes (Deposto e reduzido ao Estado Laical em 29 de Junho de 2015), como Bispo Titular de Tarso, tendo como Co-Consagrantes: Dom Delberto Constantino Araújo de Aguiar (Igreja Apostólica Luso-Hispânica) e Dom Luís Manuel dos Reis Gonçalves (Igreja Universal Ortodoxa Eslava), que tinham sido seus Sagrantes. Concelebraram na Liturgia, o Padre Amador de Sousa José, e o Padre-Diácono Álvaro José Miguel Gomes Duarte.

Momentos da Ordenação

Em 22 de Março de 2008, recebe em Lisboa das mãos de Mar Valerian de Silio (Alfredo Mario Mingolla-Montrezza) a Re-Consagração Episcopal Ortodoxa e a Transmissão das Suas Linhas de Sucessão Apostólica, comungando desta forma da Canonicidade Bielorrussa Eslava, juntamente com Dom Luís Manuel dos Reis Gonçalves e o Sr. Fernão Marques Gomes.

Decreto da Re-Consagração Episcopal

Momentos da Ordenação

Em 12 de Abril de 2008, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) preside a pedido de Mar Valerian de Silio (Alfredo Mario Mingolla-Montrezza) ao Pontifical da Divina Liturgia, durante o qual Mar Valerian de Silio (Alfredo Mario Mingolla-Montrezza) Re-Consagra no Episcopado Ortodoxo e Transmite a sua Sucessão Apostólica a Dom Delberto Constantino Araújo de Aguiar, concelebrando Dom Luís Manuel dos Reis Gonçalves (Igreja Universal Ortodoxa Eslava); o Sr. Fernão Manuel Canhão Marques Gomes (Mar Athanasius I da Hispânea); e o Monsenhor Álvaro José Miguel Gomes Duarte.

Momentos da Ordenação

Em 20 de Maio de 2008, S.B. Mar Athanasios I (Luís António do Nascimento), então Arcebispo Metropolita de São Paulo e Vigário Patriarcal do Brasil e América do Sul, da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, concede a sua BÊNÇÃO APOSTÓLICA a S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), Arcebispo de Lisboa e Titular de Sevilla, Metropolita de Braga e Sevilla, e Primaz Katholikos da Hispânea e América Latina da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, por ocasião do seu 33º aniversário natalício, tendo na mesma data e pelo Decreto nº 067/2008, usando das suas faculdades como digníssimo Reitor e Director Geral, feito constá-lo como Membro do PATRIARCAL ATENEU SÃO MARCOS da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava (Russa Autocéfala em Diáspora) na qualidade de Académico. A partir da mesma data, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), assume o seu nome de Consagração Monástica que passa a usar, passando a ser conhecido como “MAR ALEXANDER I DA HISPÂNEA”.

Bênção Apostólica

Bula como Académico

Por Sagrada Bula Patriarcal de 21 de Junho de 2008, Sua Santidade Viktor Ivan I Busa (Prof. Doutor Vittorio Giovanni María Busa), Bispo da Cidade Santa, Sucessor dos Santos Apóstolos Pedro e André, Patriarca Ecuménico da Santa Igreja Universal Ortodoxa Eslava, Patriarca da Diáspora Ortodoxa do Ocidente e do Oriente, Patriarca de toda a Bielorrussa, Arcebispo Metropolita de Byalystok e Grande Prior Ecuménico da Pia União da Igreja Cristã, reconhece a Re-Consagração Episcopal e Transmissão de Sucessão Apostólica recebida por S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), em 22 de Março de 2008, dando-lhe o seu Reconhecimento Canónico.

Bula Patriarcal

Na mesma data, por Bula Patriarcal S.S. Viktor Ivan I Busa (Prof. Doutor Vittorio Giovanni María Busa), concede à Santa Igreja Católica Ortodoxa Hispânica o seu Reconhecimento Canónico e Patrocínio Eclesiástico Universal, reconhecendo a mesma como “filha legitima da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava", e comungando assim da legítima Canonicidade Bielorrussa Eslava.

Bula Patriarcal

É acolhido como membro do “Holy Synod of North and South America, Europe and Africa” da “The American Orthodox Catholic Church”.

Decreto

Entre 11 e 17 de Novembro de 2008, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), acompanhado pelo Sr. Fernão Manuel Marques Gomes, realiza uma Visita Pastoral a Itália, tendo sido Co-Consagrante na Sagração Episcopal de Dom Massimo dell’Aquilla, Bispo Prelado Opus Domini e Regina Apostolorum, Secretário Geral da Unione Cristiana Ecuménica Regina Pacis, na cidade de Florença, Itália.

Momentos da Ordenação

Em 07 de Fevereiro de 2009, em Lisboa, foi Co-Consagrante na Sagrada Ordenação Episcopal de Dom Carlos Alberto Luconi, cidadão italiano, nascido em Buenos Aires, na República Argentina, em 17 de Março de 1958, filho de Dom Carlos Luconi, e de Dona Clelia Sammartino, sob o Santo Sínodo dos Estados Unidos da América.

Imposição de Mãos

Na mesma data, e durante o Santo Pontifical Dom Yosephos Emmanouèl III, O.S+G Teokrator de Oriente, entrega pessoalmente a S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) o Decreto pelo qual lhe confere o Grau e a Dignidade de Prior Geral de Portugal com todas as honras, premências e distinções inerentes à mesma, para que seja reconhecido com acato e respeito como Membro da “Muy Noble y Augusta Orden de Santa Maria de los Buenos Aires – Orden Bonaria”.

Prior Geral de Portugal

Entrega do Diploma

Mais tarde, em Abril de 2009, por razões pessoais renuncia a todos os cargos, honras e distinções dentro da Orden Bonaria, incluso como membro da mesma Ordem.
Em 20 de Abril de 2010, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea), à vista do magnífico trabalho em favor da Obra de Cristo e satisfeitas as exigências requeridas, recebeu o grau Honoris Causa de Doutor em Teologia, pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de S. Pedro e S. Paulo.

Diploma

Em 20 de Abril de 2010, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) como testemunho de autêntica estima de S.M.R.S. Melek Elyaquim Iº, O. S+G, Ydenir Prudenciano III Machado, Chefe da Casa Real dos Arameus e dos Auranitis, recebe o reconhecimento como Arcebispo Primaz Katholikos por esta Casa Real, e em 21 de Abril de 2010 recebe as honras, dignidade e título de Marquês de Gamala.

Reconhecimento como Arcebispo Primaz Katholikos

Marquês de Gamala

S.M.R.S. Melek Elyaquim Iº, O. S+G, Ydenir Prudenciano III Machado,
com S.A.R. Dom Duarte Pio de Bragança, Duque de Bragança

Em 30 de Abril de 2010, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) como testemunho de autêntica estima de S.M.R.S. Melek Elyaquim Iº, O. S+G, Ydenir Prudenciano III Machado, Chefe da Casa Real dos Arameus e dos Auranitis, recebe as honras, dignidade e o grau de Cavaleiro da Grã-Cruz de Justiça na Sacratíssima Ordem Patriarcal dos Abrahamidas.

Cavaleiro da Grã-Cruz de Justiça

Em 05 de Maio de 2010, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) como testemunho de autêntica estima de S.M.R.S. Melek Elyaquim Iº, O. S+G, Ydenir Prudenciano III Machado, Chefe da Casa Real dos Arameus e dos Auranitis, recebe as honras, dignidade e o grau de Cavaleiro Grande Cruz de Justiça na Sagrada Ordem da Coroa Teocrática dos Auranitas, Filhos de David.

Cavaleiro Grande Cruz de Justiça

Em Agosto de 2011, visita a Comunidade de São Frutuoso, em Coimbra, que havia solicitado a sua Incardinação na Jurisdição Canónica da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, tendo incardinado na Jurisdição o Padre Humberto Jorge Pereira Rolo e as Comunidades a ele unidas, e participado na Divina Liturgia do dia 14 de Agosto.

No dia seguinte preside à Divina Liturgia Pontifical da Dormição de Maria com a toda a Comunidade Eclesial.

Entre 29 de Outubro e 01 de Novembro de 2011, procede à Visita Canónica na Comunidade de São Frutuoso, Coimbra, tendo recebido em 30 de Outubro de 2011 os Votos Perpétuos na Ordem Monástica de São Basílio e procedido à Consagração e Tonsura Monástica do Frei Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea) e do Ex-Frei Rui Manuel Batista de Assunção (Rafael I da Hispânea).

Nessa mesma tarde de 30 de Outubro participa como concelebrante na Ordenação Diaconal do Frei Rui Assunção (Reduzido ao Estado Laical e Excomungado) e do seminarista Paulo Jorge Ribeiro Figueiredo, presidida pelo Sr. D. Fernão Manuel Canhão Marques Gomes, então Arcebispo Titular de Tarso e Vigário Primacial.

Em 31 de Outubro de 2011, erige canonicamente o Mosteiro Católico Ortodoxo de São Jorge Mártir, na localidade de São Frutuoso, Coimbra, dentro da Ordem Monástica de São Basílio (São Basílio Magno da Hispânea), pelo Decreto Primacial A130/GP, e tendo como Superior Maior, o Reverendo Padre André I da Hispânea (Humberto Jorge Pereira Rolo).

No dia seguinte preside à Consagração da Igreja do Mosteiro, dedicada à Santíssima Trindade, sendo elevada à condição de Paróquia, nomeando o Padre Humberto Rolo como Pároco da Igreja da Santíssima Trindade (Igreja do Mosteiro), que servirá à Comunidade Monástica e Paroquial, dentro do Vicariato Apostólico de Aeminium.

No dia 01 de Novembro, preside à Ordenação Presbiteral do Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea), de acordo com o Decreto de sua Incardinação e as decisões do Iº Santo Sinodo Primacial da Igreja, promulgadas no Decreto Primacial A020/GP.

Na mesma Liturgia institui e abençoa o Reverendo Padre Humberto (André I da Hispânea) como Exorcista, e nomea-o Vigário Apostólico do Vicariato Apostólico de Aeminium, recebendo o Titulo de "Dom-Prior" e o Brasão de Armas Pessoal.

Em 20 de Outubro de 2013, durante a visita canónica extraordinária e na companhia de Dom Fernão Manuel Marques Gomes (Mar Athanasius I da Hispânea), Vigário Primacial, e em plena Divina Liturgia do Santo Crisma, foi lido o Decreto Primacial nº A146/GP de «Supressão do Mosteiro Católico Ortodoxo de São Jorge Mártir».
Na tarde de 23 de Maio de 2014, no início da sua Visita Canónica ao Distrito de Castelo-Branco e da Guarda, o Arcebispo Primaz Katholikos preside solenemente à Ordenação Diaconal de César Manuel da Silva Barata, na presença da Comunidade Eclesial presente na Capela da Lordosa, Castelo-Branco.

Na manhã de 24 de Maio de 2014, S.B. Dom Paulo Jorge de Laureano desloca-se a Alpedrinha, Fundão, Distrito da Guarda, e concede o Santo Sacramento da Ordem no grau de Presbítero ao Padre César Barata, perante a Comunidade Eclesial, familiares e amigos.

Em 10 de Agosto de 2014, emite o Oficio Primacial Nº 002/08/14/GP, após longa meditação e a consulta informal de alguns destacados membros da Igreja, entre clérigos e fiéis, acerca de todo o percurso do Vicariato Apostólico de Aeminium, sob a responsabilidade do Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, especialmente constatando as situações que têm acontecido dentro da sua circunscrição ao longo do ano 2013-2014, assim como alguma persistência no abuso de autoridade em contradição com o direito, assim como o descaso demonstrado para com a Sé Apostólica da Hispânia e o seu Arcebispo Presidente.
Assim, o Arcebispo Presidente tomou a decisão de, num acto de reestruturação das áreas eclesiásticas: Extinguir o Vicariato Apostólico de Aeminium (cf. Cán. 600; 1191 §1; Artº 10 d), de acordo com as normas do direito; e Extinguir a Paróquia da Santíssima Trindade (cf. Cán. 180), de acordo com as normas do Direito, por não existirem fundamentos que continuem a sustentar a sua existência no lugar de S. Frutuoso, Coimbra (cf. Cán. 179).

Em 04 de Outubro de 2014, desloca-se à Comunidade da Lardosa, Castelo Branco, para presidir ao Santo Sínodo Primacial, no qual são tomadas medidas de suma importância para a Igreja Hispânica.

A convite do Rev. Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, responsável da nascente Comunidade de Póvoa do Paço, Aveiro, desloca-se em Visita Pastoral entre os dias 14 e 17 de Novembro de 2014. Durante a visita pode ver as obras na futura Igreja Paroquial e celebrar nela a Divina Liturgia.

Durante a Visita Pastoral à Área Administrativa da Guarda e Castelo Branco, entre os dias 05 e 09 de Dezembro de 2014, recebe oficialmente na Jurisdição pela recepção do Santo Crisma (Myron), a João Filipe Ribeiro Lourinho, durante a Divina Liturgia do IIº Domingo do Advento. No dia seguinte, preside ao Solene Pontifical da Ordenão Diaconal do Padre-Diácono João Filipe Ribeiro Lourinho, sendo concelebrante o Padre César Manuel da Silva Barata. O acto decorreu num templo privado na localidade da Póvoa da Atalaia.

Entre 12 e 15 de Dezembro de 2014, visita a Comunidade de Aveiro, procedendo no dia 13 de Dezembro de 2014 à Ordenação Subdiaconal do Sr. António Manuel Cardoso Sousa e à Instituição e Bênção como Exorcista do Padre César Manuel da Silva Barata.

Na tarde de 14 de Dezembro 2014, procede ao Baptismo de Sónia Ventura da Conceição Rodrigues.

Mais tarde, preside ao Solene Pontifical da Dedicação da Igreja de Santa Cruz e sua elevação a Paróquia, à administração do Santo Crisma (Myron) e à Sagrada Ordenação Diaconal do Padre-Diácono António Manuel Cardoso Sousa.

 

Arcebispo de Lisboa e Primaz Katholikos

S.B. Dom ++ Paulo Jorge de Laureano
(Mar Alexander I da Hispânea)


Home / Biografias Gerais / Decretos Primaciais / Primaz Katholikos / Videos


Última actualização deste Link em 29 de Junho de 2015