Canonicidade Bielorrussa Eslava

 

É interessante conhecer, quais foram os passos para chegar a uma decisão de criar uma Igreja Ortodoxa propriamente americana, que foi estabelecida primeiramente em território dos Estados Unidos; curiosamente a Santa Igreja Católica Apostólica Ortodoxa do Oeste, que foi criada em 02 de Fevereiro de 1927 e registada em 01 de Fevereiro de 1928, com a aprovação do Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa do Norte da América, fundada pelo Arcebispo S.S. Aftimos Ofiesh (Abdullah Ofiesh). Porém quem era este Arcebispo, também chamado de “Mar Abdullah” por seus fieis de origem árabe-sirio. S.S. Aftimios (Abdullah Ofiesh) nasceu na Síria em 22 de Outubro de 1880, e dedicou toda a sua juventude à formação sacerdotal ortodoxa, como Monge, até à sua Ordenação Presbiteral, recebida directamente das mãos de S.S. o Patriarca Meletios II de Antioquia, sob a Jurisdição Canónica do Patriarca Ecuménico de Constantinopla.
Naqueles anos no princípio do século XX (1905), ainda não existia o Patriarcado Russo, que foi refundado em 1917 pelo Metropolita Tikhon Bellavian (Vasili Ivanovich Bellavin) em San Petersburgo.

Patriarca Tikhon de Moscovo (Vasili Ivanovich Bellavin)

S.S. Aftimios foi enviado para trabalho das missões, e chegou a Nova York, USA em 13 de Dezembro de 1905, ficando sob a Jurisdição do recentemente consagrado Bispo de Brooklyn, Monsenhor Raphael Hawaweeny, que estava a cargo da comunidade árabe ortodoxa nos Estados Unidos. Monsenhor Raphael Hawaweeny, havia sido consagrado ao Episcopado em 12 de Março de 1904 pelo Sínodo Russo, presidido pelo Metropolita Makariz (Michael Nevsky - 1835-1926).

Monsenhor Raphael Hawaweeny

Exactamente em 04 de Janeiro 1904, aproximadamente, um mês antes, Monsenhor Nevsky (Makariz), Presidente do Sínodo Russo no Norte da América, Ilhas Aleutianas e Alaskas havia Consagrado ao Episcopado a outro muito importante fundador de quase todas as linhas ocidentais da ortodoxia russa - siriana, tratava-se de Monsenhor Basil (Michaelovich ou Meschersky), também chamado "Eudokim" ou "Eudokimov" (1869-1935), e tanto a Consagração de Monsenhor Raphael Hawaweeny como a de Monsenhor Eudokimov haviam comungado da Consagração Episcopal e Sucessão Apostólica do Bispo missionário nos Estados Unidos, Monsenhor Tikhon Bellavin, o qual seria posteriormente o Primeiro Patriarca Russo do Século XX.

Arcebispo Basil (Michaelovich ou Meschersky)

Monsenhor Tikhon esteve como Metropolita na América desde 1898 até 1907, data em que retornou para a Rússia onde permaneceu até seu falecimento em São Petersburgo, em 25 de Março de 1925.

Monsenhor Nicholas Ziorav

É justo reconhecer que havia divisões na América desde o primeiro Bispo enviado da Rússia, Monsenhor Nicholas Ziorav, falecido em 20 de Dezembro de 1915, que exerceu a Metropolia Norte-americana de 1891 até 1898, em que foi substituído por Monsenhor Tikhon Bellavin (1898-1907), que por sua vez foi sucedido em 1907 pelo Metropolita Platon Rozhestvensky, que assumiu e permaneceu em Nova York até 1914, quando o Arcebispo Basil Eudokimov, retoma a condução até 1917, posteriormente Monsenhor Eudokimov retorna a Rússia e morre em 1935, sob total controlo comunista exercido pelo Patriarca Moscovita Sergio Stagarodsky.

Metropolita Platon Rozhestvensky

Patriarca Moscovita Sergio Stagarodsky

Monsenhor Aftimios Ofiesh

Quando em 1905, o Monge Aftimios Ofiesh, chegou à América, estabeleceu-se como Decano da Catedral de São Nicolau em Brooklyn, e foi logo enviado durante 11 anos como Pároco de Montreal, Canadá. Foi nesses anos que o Monge Aftimios conheceu a Monsenhor Rizhi Kallah Abou – Hatab (Mar Emanuel), falecido em 1933, Monsenhor Zielonka (Mar Joseph), falecido em 1934, e a Monsenhor Sophronios Bishara (Bashir), falecido em 1940.
Entretanto, em 1913, Monsenhor Shehadi (Germano), recém-chegado da missão brasileira, nascido na cidade de Zahle e ordenado em 1900, tinha como meta restaurar os Patriarcados Sírios de Damasco, que estava separado do Patriarcado Ortodoxo Grego desde 1916, e agora Monsenhor Shehadi (Germano) ao ser elevado como Metropolita, está disposto a separar-se do Patriarcado Ortodoxo Russo, criando a Igreja Síria Ortodoxa da América do Norte. O Padre Ofiesh fiel ao seu antigo Bispo, Monsenhor Raphael Hawaweeny voltou a Montreal e logo após o falecimento deste, em 17 de Fevereiro de 1915, se postula ao Episcopado.
O Arcebispo Eudokimov (Basil Eudojim Mikhaliovich Merschersky) (1869-1935), recentemente eleito Metropolita, comunica ao Santo Sínodo de Moscovo, que dos 41 padres integrantes do Sínodo, 34 eram favoráveis à Consagração Episcopal do Frei Aftimios, para ser o legítimo sucessor de Monsenhor Raphael último Arcebispo Metropolita de todos os Árabes do Estados Unidos da América, sob a Jurisdição Canónica do Sínodo Russo. Assim sendo, em 13 de Maio de 1917, o Arcebispo Metropolitano Eudokimov e os Bispos Monsenhor Alexander Nemolovsky e Monsenhor Stephen (Alexander Dzubai), de Pittsburg consagram-no Bispo na Catedral de São Nicolau em Nova York. Seis anos depois de sua Consagração Episcopal, em 1923, o Metropolita Platon, eleva a Monsenhor Aftimios ao Arcebispado.

Monsenhor Alexander Nemolovsky

Os ideais renovadores do Arcebispo Aftimios viam-se reforçados, pelos esforços nacionalistas dos Bispos etnarcas, da Polónia, Ucrânia e Bielorrussia, os quais dispersos entre os Estados Unidos e Canadá, depois da partida do Metropolita Eudokimov, em 1917 e os lutuosos feitos da revolução comunista na Rússia, exigia o cumprimento enfático do Cânon nº 372, que dizia:

“Em caso de que uma Eparquia ou Diocese, se visse privada de toda comunicação com este Patriarcado de Moscovo, estas assumem toda e plena autoridade”, este cânon foi aprovado em 07 (20) de Novembro de 1920, pelo Santo Sínodo, e pelo Supremo Conselho Eclesiástico da Igreja Ortodoxa Russa; essa resolução tomada expressamente pela prisão do Patriarca Tikhon Bellavin, e ratificado novamente pelo Sucessor ao trono Patriarcal e Administrador, Legado, Monsenhor Afangel, em 05 (18) de Junho de 1922, da cidade de Yaroslav, sustenta e confirma o cânon nº 372 de 1920, e emite a resolução nº 14, destinada a todos os Bispos Ortodoxos do mundo que estavam sob jurisdição do Santo Sínodo de Moscovo e do Patriarca Tikhon que desde 05 (18) de Junho de 1920, até a reposição do Patriarcado Russo em Moscovo, todas as Eparquias e Dioceses eram Autónomas, Independentes e Autocéfalas”.

Foi assim que, o Arcebispo Aftimios Ofiesh, fiel às disposições do Santo Sínodo Russo de 1920, e à declaração do Arcebispo Afangel de 1922, resolveu ordenar Bispos para as Igrejas da Ucrânia e Polónia na América, junto com o Metropolita Alexander Nemolonsky, falecido em 11 de Abril de 1960 na Bélgica, Primeiro Metropolita Ucraniano Autocéfalo do Canadá (1916-1919 a 1919-1922). Os outros Metropolitas Ucranianos, da linhagem apostólica de Monsenhor Aftimios foram o Bispo Apolliray Hoschersky (1924-1925) para Winnipeg, falecido em 19 de Junho de 1933, em Nova York, USA, Monsenhor Arseny Chanortsov, falecido em 14 de Outubro de 1945, segundo Arcebispo de Winnipeg, USA (1926-1937); o Arcebispo Emannuel de Montreal (Rizhi Calla Abou – Hatab), Metropolita no Canadá (1927-1933), falecido em 29 de Maio de 1933; o Metropolita Theophilus Pashkovsky (1934-1940), falecido em 24 de Junho de 1950, para Canaã, PA, USA; e finalmente o Arcebispo Josaph Skorodvmov de Calgary e Canadá (1938-1946), falecido em 26 de Novembro de 1955 em Buenos Aires - Argentina.

Metropolita Theophilus Pashkovsky

Todos estes Bispos de linhagem russa - ucraniana criaram Igrejas Autónomas, outros Bispos ucranianos, também ligados a Monsenhor Aftimios Ofiesh, foram Monsenhor John Theodorovich, que chegou aos Estados Unidos da América, em 1924, e conduziu uma parte dos ucranianos autocéfalos; Monsenhor Theodorovich já havia sido aprovado pela Metropolia Ucraniana, mas entretanto a morte do Arcebispo Stephen Basil Slipko, antecipou a sua Consagração Episcopal. Então o Santo Sínodo em pleno colocou as mãos do Arcebispo recentemente falecido, e assim o ungiram como Bispo e Metropolita, isto foi em 1946, na chegada aos Estados Unidos da América de vários Bispos ucranianos, ordenados entre 1941 e 1944, durante a ocupação alemã, e sob as leis da restauração religiosa, nos países do Protectorado Alemão do Este “Osthand”.

Monsenhor John Theodorovich

Estes Bispos de sucessão russa - ucraniana estavam sob a orientação espiritual de Monsenhor Mstyslav Skrypnyk, que foi o Terceiro Arcebispo de Winnipeg, USA, e todo o Canadá, linha iniciada pelo Arcebispo John Thaeodorovich e continuada pelo Arcebispo Mstyslav, tudo como associados aos Bispos do Metropolita Polikarp Sikorsky, Consagrado em 1942 junto a Monsenhor Mstyslav em Varsóvia, pela Metropolia Polaca. Os outros três Bispos vindos de “Ostland” foram o Metropolita Hilarion Ohienko, falecido em 29 de Março de 1972 e os Arcebispos Michael Khorosky e Platon Artemiuck.
Monsenhor Hilarion assumiu como Metropolita sendo sucedido por Monsenhor Michael (1972-1975) e finalmente por Monsenhor Andrew Metiuk desde 1975 até ao seu falecimento em 02 de Fevereiro de 1985. Actualmente o Arcebispo reinante dessa linha autónoma ucraniana o Monsenhor Nicholas Debryn.

Monsenhor Mstyslav Skrypnyk

Em 1933 o Arcebispo Aftimios Ofiesh, que desde a sua Consagração Episcopal em 1917, havia gerado mais ou menos doze linhas sucessórias, entre as Igrejas Ortodoxas, seja por transmissão da sucessão apostólica, ou por co-consagração, ou por consagração (sub-condição).

Nicholas – Bohdam - Propheta

Em 27 de Setembro de 1932, quatro anos depois, o Arcebispo Aftimios Ofiesh, criou a primeira Igreja Ortodoxa do Ocidente nos Estados Unidos, junto aos seus Consagrados e Co-Consagrantes Monsenhor Sophronios Bishara e Monsenhor Joseph A. Zuk, que consagraram como Bispo norte-americano de origem totalmente anglo-saxónica, a Monsenhor William Albert Nichols, que toma o nome religioso de “Mar Ignacio Jules Nichols”. Monsenhor Joseph Zuk, passou a ocupar-se das Paróquias Ucranianas Ortodoxas nos Estados Unidos a partir de 1940, porém devido aos falecimentos ocorridos entre 1933 e 1940 dos Bispos Emmnuel, Joseph e Sophronios, e Monsenhor William Albert Nichols (Mar Ignatius Jules Nichols), aprovado por todo o Santo Sínodo, cria a “AOCCM - American Orthodox Catholic Church Mission“. Mar Ignatius Nichols, foi o primeiro Patriarca desta Igreja até à sua morte, em 06 de Fevereiro de 1947. O Arcebispo Joseph Zuk, sucede ao Metropolita ucraniano Monsenhor Bohdam Shpilkat, fundador da “UOCA – Ukranian Orthodox Church of América”, Jurisdição do Patriarcado Ecuménico de Constantinopla; o Arcebispo Bohdam, havia nascido em 12 de Fevereiro de 1892, na Ucrânia e faleceu em Ottawa, Canadá, em 01 de Novembro de 1965. Monsenhor Bohdam Shpilkat foi o único Arcebispo e Metropolita dos Ucranianos consagrados por S.S. Athenagoras, Patriarca Ecuménico Grego. Este, tal como Monsenhor Aftimios, havia sido ordenado sacerdote pelo Patriarca Meletios II, em Atenas, no ano de 1910. Monsenhor Athenagoras, desde 1913 que era secretário do Santo Sínodo e em 1930 foi nomeado Arcebispo para América do Norte e do Sul, tendo neste período Consagrado como Bispo a Mons. Bohdam Shpikat, que assume como sucessor de Monsenhor Joseph Zuk em 1947.

Monsenhor Joseph A. Zuk

Monsenhor William Albert Nichols (Mar Ignatius Jules Nichols)

Mas, desde 15 de Maio de 1938, Monsenhor Bohdam Shpilkat já era o Metropolita dos Ucranianos sob a Jurisdição Grega, cujo Vigário Patriarcal era o Arcebispo Athenagoras em Nova York, até 02 de Janeiro de 1949, quando voltou a Constantinopla, como novo Patriarca Ecuménico, sendo justo recordar que o espírito conciliador e ecuménico de S.S. São Athenagoras I de Constantinopla se demonstrou no Perdão Mútuo e o levantamento da Excomunhão entre Grécia e Roma, em 28 de Outubro de 1967, em presença de S.S. Athenagoras I e S.S. São Paulo VI.

S.S. Paulo VI e S.S. Athenagoras I de Constantinopla

Esse espírito de abertura é o que o Arcebispo Bohdam Shpilkat transferiu na Ordenação Sacerdotal a Frei Walter Miron Propheta, que foi posteriormente secretário da Metropolia, sendo elevado como Arcipreste-Mitrado segundo Bula de 18 de Abril de 1959, pelo Arcebispo Bohdam, sempre dentro da Igreja Ortodoxa da Ucrânia na América.

Nichols – Anned

As separações das diferentes Igrejas Ortodoxas Ucranianas, na América trouxeram como consequência a existência de vários Metropolitas, entre Canadá e USA, tais como: Monsenhor John Teodorovich, Monsenhor Mstyslav, Monsenhor Bohdam e Monsenhor Andreij Kuschak.
Da Sucessão Aftimios Ofiesh junto à de Joseph Zuk vem Ignatius Nichols, o primeiro Patriarca Ortodoxo de uma Igreja totalmente americana, Monsenhor Nichols Consagra ao Episcopado a Monsenhor Dyer, e este a Monsenhor Nelson, e este a Monsenhor Wadle, o qual Consagra ao Episcopado a Monsenhor Kleefish, que por sua vez já estava Consagrado por Monsenhor Ivan Nikolahevich Stagorodsky, junto a Monsenhor Raban Ortinsky em 1917. Monsenhor Stagarodsky havia sido Consagrado Bispo em 25 de Fevereiro de 1901 pelo Bispo Tikhon Bellavin (Vasili Ivanovich). Monsenhor Kleefish transfere a Monsenhor Anthony Anned a Sucessão Russa de Tikhon - Sthagarodsky e recebe de Monsenhor Anthony Anned a Sucessão de Monsenhor Sophronios Bishara (Bashir) e de Monsenhor Aftimios Ofiesh (Mar Abdullah), recebida de Monsenhor Eudokimov e antes de Monsenhor Platon, via Tikhon Bellavin; ou seja, que mediante Monsenhor Ignatius Jules Nichols, unem-se as duas Sucessões Russas da mesma origem, e através de Monsenhor Anthony Anned agrega-se à Sucessão Uniata - Melkita do Arcebispo Melece Sawaya (1871-1960), Mons. Athanasius, Arcebispo de Beirut, o qual depois de romper a relação com a Igreja Católica Apostólica Romana, vai aos Estados Unidos e Consagra Bispo a Monsenhor Anthony Anned, em Outubro de 1911, para que este seja o Patriarca da Primeira Igreja Bizantina da América. É com estas três linhas sucessórias que os Bispos Kllefish e Anned consagram Bispo a Monsenhor Odo Acheson Barry, em 29 de Julho de 1949, em Nova York, USA.

Monsenhor Andreij Kuschak

Monsenhor Theophan Noli

Noli – Bishara – Souris

Já conhecemos até agora a Sucessão de Monsenhor Sophronios Bishara (Bashir), consagrado ao Episcopado pelos Bispos Monsenhor Aftimios Ofiesh, e por Monsenhor Eudokimov Meschersky, mas o impulso apostólico de Monsenhor Tikhon Bellavin em terras americanas, também alcançaria a auxiliar na restauração de uma Igreja Ortodoxa Albanesa em Diáspora, com autoridades próprias, devido à destruição total da Igreja Ortodoxa nos Reinos do Egipto e Albânia pelos comunistas.
Monsenhor Theophan Noli (Stephan / Stylian Fan Noli), foi Consagrado Bispo em 1918, pelo Arcebispo de Tirana, Albânia, Monsenhor Christoforo Kissi, dependente do Patriarcado Ecuménico de Constantinopla, tendo Monsenhor Kissi morrido no exílio em 1937 e a Albânia abolido a F é Cristã Ortodoxa. O Sucessor do Metropolita Kissi foi Monsenhor Damianos, entronizado em 1967, mas falecido na prisão em 1973. Mais tarde, em 1992 a Igreja Ortodoxa Albanesa consegui eleger o seu Primeiro Arcebispo que reside no próprio território da Albânia, Monsenhor Athanasios.

Monsenhor Christopher Contagiorgios

Monsenhor Christoforo Kissi

Monsenhor Peter Andrew Zurawetsky

Monsenhor Stephan (Stylian Fan Noli), EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA DA ALBÂNIA, o qual depois da segunda guerra mundial foi exilar-se nos Estados Unidos, e foi motivado a lidera o movimento Ortodoxo Albanês na América. Junto a Monsenhor Sophronios Bishara (Bashir) Consagram como Bispo a Monsenhor Christopher Contagiorgios, que junto a Monsenhor Nicholas Kedrosvky (Kefroff), Monsenhor Arsenio Saltas e Monsenhor Benjamin Fedtschenkch consagram, em 1935 a Monsenhor Joseph Klimovich, que junto a Monsenhor Peter Andrew Zurawetsky, Monsenhor Joseph Zielonka e Monsenhor John Cyril Sherwood consagram em 02 de Junho de 1951 a Monsenhor Joachim Souris.

Souris – Propheta

As Sucessões Noli-Sophronios juntam-se em Monsenhor Christopher Contagiorgios, consagrante de Monsenhor Konstantine Jaroshevich, em 1949, que junto a Monsenhor Joseph Klimovich e o Metropolita Siriano, Joseph Zielonka, consagram em 14 de Outubro de 1950, o Metropolita Ucraniano Nicholas Bohatyretz, o qual junto a Monsenhor Klimovich e Monsenhor Jaroshevich Consagram em 15 de Outubro e 1950 ao Arcebispo Peter Andrew Zurawetsky.
Esta é a linha sucessória dos Bispos russo-ucraniano e grego-siriano que confere a Monsenhor Joaquim Souris, que também recebe a Sucessão de Monsenhor Aftimios através de Monsenhor Ignatius (Willian Albert Nichols) e de Monsenhor Ambrosius (Maitland Ambrose Raynes) os quais em 1934 consagram a Monsenhor Georgeius (George Winslow Plummer), que junto a Monsenhor Irineus (Henry Van Ardsald Parsell), consagram, em 1936, a Monsenhor Theodotus (Stanislaus De Witow ou Witowsky), que intercambia sua linha sucessória com a de Monsenhor Joaquim Souris, primeiro Metropolita da Igreja Grega Ortodoxa Autocéfala em Nova York, e fundador da Greek Bishops of Holly Sinod of true Orthodox Christians (G.O.X), (Old Calendar), o qual junto ao Monsenhor Theodotus (Stanislaus De Witow ou Witowsky), Metropolita da Orthodox Church of America - OCA, Consagraram em 03 de Outubro de 1964, em Nova York, o Arcipreste Mitrado Walter Myron Propheta como Bispo Grego-Ucraniano, conservando a Sucessão Russa-Siriana.

Patriarca Wolodymyr I (Walter Myron Propheta)

Makarios – Propheta

Posterior à Consagração Episcopal de Mons. Walter Myron Propheta, em 03 de Outubro de 1964, este foi Re-Consagrado para ser elevado ao Arcebispado e a Metropolia, como Primaz da Igreja Ortodoxa da América e da Antiga Igreja da Ucrânia, tendo sido Consagrantes em 30 de Março de 1965, o Arcebispo Theoklitos Kantaris da Igreja Ortodoxa Grega de Salamis (Chipre) e o Arcebispo Theodotus (Estanislao de Witow / Wilansky), da Igreja Ortodoxa da América. Monsenhor Walter Myron Propheta foi proclamado Patriarca, para a Igreja Ortodoxa da América e para a Antiga Igreja da Ucrânia, sob o nome de S.S. Wolodymyr I, em 14 de Janeiro de 1968. S.S. Wolodymyr I (Walter Myron Propheta) veio a falecer em 18 de Outubro de 1972, aos 60 anos de idade.
A Sucessão Grega recebida por S.S. Wolodymyr I (Walter Myron Propheta) através de Monsenhor Theoklitos Kantaris, vinha directamente de S.B. Makarios III (13-08-1913 – 03-08-1977), Arcebispo de Nova Justiniana e Arcebispo Primaz de Chipre. S.B. Makarios III (Michel Christodotou Mouskos Kykkotis) havia Consagrado ao Episcopado em 13 de Junho de 1948 a Monsenhor Theoklitos Kantaris, como Bispo de Salamis (Chipre).

S.B. Makarios III (Michel Christodotou Mouskos Kykkotis)

S.B. Makarios III, Patriarca Ortodoxo de Chipre, com reconhecimento pleno do Patriarcado Ecuménico de Constantinopla, Sucessor de Makarios II, foi o primeiro Secretário Geral do Parlamento Mundial para Segurança e Paz, Organismo Inter-governamental e o Presidente-fundador era o Arcebispo Vittorio Giovanni Maria Busa, posteriormente S.S. Viktor Ivan I Busa, II Patriarca Ortodoxo Bielorrusso Eslavo.

S.S. Viktor Ivan I Busa, II Patriarca Ortodoxo Bielorrusso Eslavo

Propheta – Pace

Esta bem claro que no dia 03 de Outubro de 1964, quando foi Consagrado Bispo, Monsenhor Walter Myron Propheta, aos 52 anos, recebeu das mãos do Arcebispo Joaquim Souris e do Arcebispo Stanislaus De Witow (Theodotus Witowsky), o acumulado canónico de seus antecessores Russos-Ucranianos, que com excepção do Arcebispo Bohdan Shpilkat que lhe outorgara a Sucessão Grega de Monsenhor Athenagoras em 18 de Abril de 1959, como seu secretário e Arcipreste Mitrado da Igreja Ortodoxa Ucraniana da América, sob o Patriarcado Ecuménico de Constantinopla; e com a Re-Consagração de 30 de Marco de 1965, reafirmava a Sucessão Episcopal Grega, das mãos do Arcebispo Theoklitos Kántaris.

Monsenhor Joseph-Rene Villate

Era necessário que o Arcebispo Walter Myron Propheta, fosse receptor das linhas russa-ucraniana e grega, assim como também das linhas siriana de Monsenhor Joseph-Rene Villate, e Vétero-Católica de Monsenhor Henry Carfora, assim como da Sucessão Apostólica de Utrecht, pois em 14 de Janeiro de 1968, o Arcebispo Propheta, foi proclamado como Sua Beatitude Wolodymyr I, tendo sobre a sua cabeça a Sucessão dos Arcebispos Russos Zioran, Tikhon, Platon, Nevskij, Meschersky, Eudokimove, e Monsenhor Aftimios Ofiesh.

Monsenhor Henry Carfora

Monsenhor Aftimios Ofiesh foi o primeiro grande fundador de uma Ortodoxia genuinamente livre de toda a tradição étnica, talvez, o maior dos Arcebispos Cristãos da Renovação Católica Ortodoxa. O Arcebispo Metropolita Aftimios Ofiesh, que tomou o nome de Mar Abdullah I, como reconhecimento de seu retorno à Igreja Palestiniana mais antiga, desejando a Tradição Eslava e abrindo-se para um Catolicismo Ortodoxo, mais Ocidental, porém com raízes Jerusalemitanas.

Mar Ignatius Peter (Bedros)

Do Arcebispo Aftimios Ofiesh provêm quase todas as Igrejas Autocéfalas Ortodoxas, a Albanesa em Diáspora, do Arcebispo Fan Noli, a Bizantina da União Melkita do Arcebispo Melece Sawaya com o Arcebispo Anthony Anned, a Russa-Vétero Católica de Monsenhor Henry Joseph Kleefish e Monsenhor Odo Achesson Barry, que somadas à linha siriana de Mar Ignatius Peter (Bedros), e através do Arcebispo Jules Ferrete, chega ao S.S. Hugh George de Willemontt Newman, Primeiro Patriarca de Canterbury e VI da Inglaterra.

S.S. Hugh George de Willemontt Newman

De Monsenhor Aftimios Ofiesh nascem os Arcebispos Sopronios Bishara e deste Monsenhor Christopher Contagiorgios, e deste o Arcebispo Joaquim Souris, que tinha a Sucessão do Arcebispo Peter Zurawetsky, e do Arcebispo Bohatyretz, e dos Arcebispos Klimovich, Saltas, Kedroffsky, e Jaroshevich; todas essas conjunções histórico-canónicas concentradas naquele Primeiro Patriarca, que no ano de 1968, com S.S. Wolodymyr I (Walter M. Propheta), teve como missão unir todas as Igrejas Ortodoxas da América (não étnicas) em uma só expressão institucional, a Igreja Católica Ortodoxa da América (AOCC - American Orthodox Catholic Church).
É neste contexto que o Patriarca Wolodymyr I (Walter M. Propheta) expande para Europa, para tentar unir as linhas do Arcebispo Jules Ferrett, do Patriarcado de Canterbury na Inglaterra (Antiga Igreja Ortodoxa da Inglaterra), com as Igrejas Galicanas e de Utrech.
O Sacerdote Ortodoxo Giuseppe Santo Pace, natural de Génova, foi Ordenado Presbítero em 20 de Janeiro de 1958 pelo Arcebispo Alesio Van Der Hensbugghe, que tinha a linhagem russa em exílio e dos Velhos Católicos.
Em 25 de Dezembro de 1964 Monsenhor Walter Myron Propheta, Metropolita da Antiga Igreja da Ucrânia na América junto com o Arcebispo Joaquim Souris e Monsenhor Theodotus Witowsky, Consagram como Bispo a Monsenhor Giuseppe Eusébio Santo Pace, permanecendo como Exarca para a Itália e América do Sul, desde 1964 até 1971.
S.S. Wolodymyr I (Walter M. Propheta), que desde 1968 era o Patriarca da Antiga Igreja da Ucrânia na América, assim como da Igreja Católica Ortodoxa da América eleva ao Arcebispo Giuseppe Eusébio Santo Pace, como Metropolita da Itália e Exarca Apostólico para toda Europa e América Latina, sob o nome de “Eusébio”, Bispo de Nazareth.

Arcebispo Giuseppe Santo Pace (Eusébio)

Anned - Barry

Monsenhor Odo Achesson Barry, que transfere a sua Sucessão Canónica a S.S. Hugh Willemont Newmann, do qual vem posteriormente a sucessão de S.S. Viktor Ivan Busa, e também por sua raiz russa-ucraniana, tem directa relação com S.S. Wolodymyr I (Walter M. Propheta), do qual vem Monsenhor Eusébio Santo Pace, transmissor da sucessão russa-ucraniana no Brasil a Monsenhor Jair Pereira de Faria (Mar Crisostomos), e a S.B Luiz António do Nascimento (Mar Athanasios I).

S.B. Luiz António do Nascimento (Mar Athanasios I)

A história de Monsenhor Odo A. Barry resulta útil e interessante, pois este sacerdote provinha sem sucessão válida da Igreja Católica Liberal, até que em 26 de Julho de 1946, em que foi Ordenado Presbítero por Monsenhor Anthony Joseph Anned. Monsenhor Anned (1881-1970+), foi Consagrado Bispo em 09 de Outubro de 1911, por Monsenhor Melece Sawaya e posteriormente foi rectificado em 10 de Setembro de 1944 por Monsenhor Lowell Paul Wadle, junto a Monsenhor Edgar Ramon Verostek, recebendo a linhagem russa e siriana, em 23 de Agosto de 1945, através de Monsenhor Henry Joseph Kleefish, Monsenhor Charles H. Hampton e Monsenhor Wallace David de Ortega Maxey. Monsenhor Anned havia fundado a Primeira Igreja Bizantina na América (The Bizantine American Church).

Monsenhor Wallace David de Ortega Maxey

Em 29 de Julho de 1949, Monsenhor Odo Achesson Barry foi Consagrado Bispo por todo o Sínodo Bizantino formado pelos Bispos Anthony J. Anned, Charles H. Hampton, Lowell Paul Wadle, Hugh Michael Strange e Henry J. Kleefish, ressaltando que o Arcebispo Lowell Paul Wadle, Consagrado Bispo em 16 de Março de 1947 pelo Arcebispo Franz Dyer, que foi Consagrado em 10 de Abril de 1940, por Monsenhor Ignacio Jules (Willian Albert Nichols), também tinha a Sucessão de Monsenhor Joseph René Villate, que havia sido Consagrado em 29 de Maio de 1942, recordando que Monsenhor Villate recebera a Consagração Episcopal de Mar Julius I (António Francisco Xavier Alvarez) da Igreja Síria Ortodoxa Malabar.

Mar Julius I (António Francisco Xavier Alvarez)

Thiesen - Busa

Antes de escrever sobre as Sucessões Europeias da Igreja Marievita e da Igreja Vétero Católica Apostólica, ou da Igreja Ortodoxa Galicana, todas directamente descendentes da linhagem Sírio-Ortodoxa de S.S. Ignacio Peter III (Arcebispo Bedros de Homs, “Edesa” - Síria), logo 128º Patriarca da Igreja Ortodoxa Siriana de Antioquia, mediante o Patriarcado Ortodoxo de Inglaterra fundado por S.B. Jules Ferrete, que posteriormente se conheceria como linha britânica de Canterbury e que teve em S.S. Willemott Newmann, e em seu sucessor o Arcebispo Harold Perceval Nicholson (Jean Harold Nicholson), Arcebispo Titular de Harbin, grande expansão. Mons. Nicholson, como receptor da linhagem russa de Monsenhor Henry Kleefish, transmitira a Consagração Episcopal, em 01 de Junho de 1955 a Monsenhor Jan Frederich Nico Blon Van Assendelf Altland, da qual vem uma das Sucessões de S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa).

Monsenhor Jan Frederich Nico Blon Van Assendelf Altland

A canonicidade de S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa), IIº Patriarca da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, com sede em Sicília-Palermo - Itália, concretiza-se em 06 de Marco de 1971, quando recebe a linhagem Siriana e Vétero-Católico, Russo-Ucraniano e Melquita-Uniata, tudo unificado no VII Patriarca Britânico e I de Glastonbury, o célebre e culto Arcebispo inglês, S.S. Hugh George de Willemott Newmann, que em 08 de Setembro de 1945, Consagra a Monsenhor Charles Leslie Saul, que em 08 de Janeiro de 1950 Consagra a Monsenhor Dom L. Thomas Tollemas, que em 04 de Novembro de 1951 Re-Consagra no Episcopado ao Arcebispo Joseph Maria Thiesen, previamente Consagrado por Monsenhor Aloysius Stumpfl em 17 de Abril de 1949. Desta forma, S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa) em 06 de Marco de 1971, na Alemanha, recebe de Monsenhor Joseph Maria Thiesen, a linhagem Apostólica da Igreja Vétero-Católica da Alemanha (Alt Romisch Katholiche Kirche), recordando que Monsenhor Thiesen era também transmissor de Sucessões Apostólicas a Monsenhor Jan Frederick Nico Blon Van Assendelf Altland em 25 de Janeiro de 1953, a qual somava a esta sua Consagração Episcopal efectuada em 27 de Maio de 1950 pelo Patriarca Mar Joanes, falecido em 1968, de nome secular Arcebispo Harold Perceval Nicholson (Jean Harold Nicholson).

Patriarca Harold Perceval Nicholson (Jean Harold Nicholson)

King – Busa

Mas, como também Monsenhor Altland estará presente em várias Re-Consagrações europeias, seguiremos agora com a terceira linha sucessora episcopal de S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa), o qual em 10 de Outubro de 1972, intercambia Consagrações com Monsenhor Frederick Charles King, na cidade de Los Angeles - USA. Mons. King tinha sobre si a Sucessão de Monsenhor Rene Villate e de Monsenhor Aftimios Ofiesh, e intercambia com S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa) todas as linhas faltantes, desde a Sucessão Romana mais antiga, como a do Bispo de Tamaulipas, Dom Eduardo Sanchez y Camacho (1838- 1920) que estabelece a Igreja Nacional do México, e da Sucessão dos Vétero-Católicos Americanos e Europeus como Monsenhor Donkin, e seus sucessores Monsenhor Hereford, Monsenhor Mac Beanknightit e Monsenhor Hedley Coward Bartlett (1873-1956).
No intercâmbio King-Busa, de suas Co-Consagrações, unem também as linhas de Monsenhor Philip Charles Stewart Singer (Sucessão Camacho-Wellemont), e a de Monsenhor Herman Philippus Abbinga, que Consagra a Monsenhor Altland em Abril de 1947, e este ao Príncipe Mons. Alexandro Licastro de Chastre Grimaldi Lascaris, em 18 de Novembro de 1956 e este a Monsenhor Charles Brearley (Ignatius Carolus of Danum), em 16 de Junho de 1957, a qual se transfere ao mencionado Monsenhor Stewart Singer. Também podemos dizer que se soma a Sucessão do Arcebispo Christopher Maria Carl John Stanley, Consagrado por Monsenhor Altland em 03 de Maio de 1959, do qual vem Monsenhor Skelton Leonard (Miller Marck), conhecido como Mar Markus I, da Bizantine Catholic Church e Monsenhor Frederich Charles King, Arcebispo Primaz para a toda Itália da Old Catholic Church.

S.B. Mar Markus I

Maas - Busa

Essa linha litúrgica – tradicional leva a S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa), novamente a Alemanha, para que em 22 de Abril 1973, receba a Sucessão Marievita, de Monsenhor Georges Kowallesky, líder da Restauração Mariana da Polónia, reforçada pela legitimação Vétero-Católica de Monsenhor Gerardus Gull e toda a essência Conciliar de Utrecht, sendo S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa) ratificado e elevado ao Arcebispado, pelo Santo Sínodo de Mariviten Katholische Kirchen in Dentschland formado pelos Arcebispo Helmut Norbert Maas, o Bispo Herry Marciniak e o Bispo Jakob Rokitta; e de Monsenhor Helmut Norbert Maas, falecido em 1992, e que foi Consagrado em 09 de Outubro de 1949, por Monsenhor Paul Fatome, que foi Consagrado por Monsenhor Michael Maria (John Kowaleski), em 04 de Setembro de 1939. Monsenhor Helmut Norbert Maas, também era portador da Sucessão Russa-Siriana, recebida em 22 de Setembro de 1955, directamente de Monsenhor Harold Perceval Nicholson, assistido por Monsenhor Jan Frederick Nico Blom Van Assendelft Altland e por Monsenhor Theodor Anselmus Labs.

Monsenhor Gerardus Gull

Malvy – De Vent – Busa


Ainda faltava uma Consagração a S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa), como se o Espírito Santo lhe estivesse recobrindo de sucessivas armas espirituais, para que à morte de S.S. Uladyslaw I Ryzy Riski, Iº Patriarca da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava em toda a Diáspora Ocidental e Oriental, essa pesada herança fosse transmitida ao IIº Patriarca Bielorrusso em Diáspora, actual Arcebispo de Byalystock, Patriarca Ecuménico dos Eslavos, e de toda Rússia, S.S. Viktor Ivan I (Vittorio Giovanni Maria Busa).
A linhagem faltante o aportaria Monsenhor Maurício de Vent, Arcebispo e Metropolita da Igreja Galicana da França, impondo suas mãos sobre S.S. Viktor Ivan I Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa), em 13 de Maio de 1973. Monsenhor Maurício de Vent, sucessor de Monsenhor Jean René Angel de Malvy, que havia sido Consagrado Bispo pela primeira vez em 12 de Agosto de 1951 pelo Arcebispo Louis Jean Marie Valentin Fournié, Primaz da Igreja Ortodoxa da França, por Sucessão Siriana directa de 29 de Maio de 1892, em que Monsenhor Joseph Rene Villate, por expressa autorização do Patriarca Sírio de Antioquia, S.S. Ignacio Peter III, concordou que em Ceylan-Sri-Lanka, o Arcebispo Metropolita Mar Julius I (Monsenhor Antonio Francisco Xavier Alvarez), conjuntamente com os Arcebispos Mar Gregorios (Geevarghese Chathuruhie Pallathitta) e Mar Athanasios (Paulouse Kadavil Kouran), todos eles de Sucessão Sírio-Malabar, consagram um bispo canónico ocidental não para fundar uma Igreja Ortodoxa Malabar ou Siriana na América e Europa, mas sim para levar a luz da ortodoxia ás trevas de um cristianismo que naufragava em liberalismo e em falso modernismo que assolava o catolicismo romano ao finalizar o século XIX.

Mar Athanasios (Paulouse Kadavil Kouran)

Mar Julius Ernest Houssay

Monsenhor Paolo Miraglia Gulloti

Essa indiscutível linhagem Sírio-Malabar que Monsenhor Villate transferiu a Monsenhor Paolo Miraglia Gulloti em 04 de Dezembro de 1904, e este a Monsenhor Julius Ernest Houssay em 21 de Junho de 1911, e este a Monsenhor Luiz Marie François Girand em 02 de Fevereiro de 1930, e este a Monsenhor Bernard Isidore Jalbert-Villie em 24 de Julho de 1951, e este a Monsenhor Louis Jean Marie Valentin Fournié em 08 de Agosto de 1951, e este em 12 de Agosto de 1951, Consagra a Monsenhor Jean René Angel de Malvy, o qual em 11 de Dezembro de 1955, na Capela do Santíssimo Sacramento, 20 - Rua de Louvois a Chelles, em Paris, Franca é Re-Consagrado e elevado ao Arcebispado, como Coadjutor para a França, pelo ilustre Monsenhor Jean Marie Blom Van Assendelft Altland, como Arcebispo Primaz da Velha Igreja Ortodoxa da França.

Monsenhor Luiz Marie François Girand

Monsenhor Jean René Angel de Malvy, posteriormente primeiro Patriarca Ortodoxo da França, aguardara 17 longos anos, até Consagrar um Bispo Ortodoxo de linhagem canónica oriental (Sírio-Malabar) e ocidental (Vétero-Católico) que somadas ás linhas romanas-ucranianas e russas estaria apto para ocupar o Patriarcado da Igreja Ortodoxa Belga. É assim que em 21 de Setembro de 1972, Monsenhor Maurício de Vent é Consagrado ao Episcopado e assume a Metropolia da Bélgica e posteriormente o primeiro Patriarcado desse Pais. Assim, quando os velhos Patriarcas Ortodoxos da Europa decidem, que seja o jovem Arcebispo Italiano Mons. Vittorio Giovanni Maria Busà, o qual desde 06 de Marco de 1971, havia percorrido meio Mundo, para legitimar sua vocação sacerdotal ao serviço da Fé Cristã Ortodoxa, livre de distorções políticas ou de outros interesses subalternos, recebe agora o seu último selo do Espírito Santo, em 13 de Maio de 1973 na antiquíssima Capela Normanda do “Pai Nosso”, em sua cidade natal, Palermo, Sicília, rodeado de outros Bispos, clero, familiares, fiéis e amigos, quando o Arcebispo Maurício de Vent, coloca as mãos e o Evangelho sobre o futuro Patriarca Bielorrusso.

Patriarca Uladyslau I Ryzy Rysk

Riski – Busa

O Professor Ryzy Riski (1925-1978), Sacerdote Bielorrusso Ortodoxo, forçado ao exílio pelo comunismo e pela guerra, foi Consagrado Bispo em 20 de Setembro de 1965 por Monsenhor Walter Myron Propheta, assistido pelos Bispos Monsenhor Christopher Cragg, Monsenhor Peter Zurawetzsky, Monsenhor Willian O’Neil e Monsenhor Leonard Hill, que em 07 de Novembro de 1967, outorga a Mons. Ryzy Riski a Diocese de New Hampshire e o título de Bispo de Lacônia e da Nova Inglaterra, quando previamente em 04 de Novembro de 1967, é elevado ao Arcebispado por Monsenhor Peter Andew Zurawetzsky, de quem também recebeu a Sucessão Apostólica em 1965, como Patriarca do Old Patriarcale Catholic Orthodox in América - OPCOA. Entretanto Monsenhor Walter Myron Propheta, seguia com a AOCC - American Orthodox Catholic Church assumindo mais estritamente o controle sobre as antigas Igrejas Ortodoxas da Ucrânia na América como Patriarca unificador de quase todo o universo autocéfalo nos Estados Unidos da América, debaixo de seu Santo Sólio Patriarcal como S.S. Wolodymyr I.
Perante a morte de S.S. Wolodymyr I (Walter Myron Propheta), Fundador e Patriarca da Igreja Católica Ortodoxa Americana (The American Orthodox Catholic Church), ocorrida em 18 de outubro de 1972, S.B. Ryzy Risk, vê-se impedido a formar o Santo Sínodo Bielorrusso, para atender aos seus compatriotas que continuavam chegando exilados na América. Tendo o Santo Sínodo estabelecido o Patriarcado, devido ao seu crescimento dentro e fora dos Estados Unidos, elegeram a S.B. Ryzy Risk como o Primeiro Patriarca Bielorrusso Eslavo no exílio, sob o nome de S.S. Uladyslau I (Ryzy Risk), por Mandato do Santo Sínodo de Subozhnia, e confirmado pelo Certificado Sinodal Ecuménico de 01 de janeiro de 1966.
S.S. Uladyslau I (Ryzy Risk), em sua condição de Presidente do “WORLD PATRIARCATES OF AMÉRICA”, organizou a administração apostólica de uma possível Igreja Ortodoxa para todo território da República Socialista da Bielorrussia, que actuaria de modo autónomo do Patriarcado em exílio. S.S. Uladyslau I (Ryzy Risk) chegou a fundar uma Escola de Ofícios e uma Faculdade em Bronk - Nova York, para imigrantes, seguindo os passos de S.S. Wolodymyr I (Walter Myron Propheta), e do arcebispo S.B. Peter Andrew Zurawetzsky, símbolos cristãos de humildade e dedicação aos desprotegidos.

Diante da enfermidade terminal de S.S. Uladyslau I (Ryzy Risk), o Santo Sínodo, elege a Monsenhor Vittorio Giovanni Maria Busa, como Sucessor e Vice-Patriarca Bielorrusso para a Diáspora Ocidental e Oriental. Com o falecimento de S.S. Uladyslau I (Ryzy Risk), o Santo Sínodo ratifica a Monsenhor Vittorio Giovanni Maria Busa, elevando-o ao Sólio Patriarcal, como S.S. Viktor Ivan I Busa, IIº Patriarca Ortodoxo Bielorrusso e Iº Patriarca Ecuménico dos Eslavos. Desde 1979, a Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, estabeleceu-se na Itália, Finlândia, Canadá, França, Polónia e América do Sul, tendo sido no Brasil onde teve a sua maior expansão. O Metropolita Geral do Patriarcado e Vigário Patriarcal no Brasil para as Américas e toda Itália, Monsenhor Athanasios Luiz António do Nascimento, reside na cidade de São Paulo, onde foi construída a Catedral Metropolitana de São Pedro e São Paulo. Mar Athanasios I é um Arcebispo singular que tem dinamizado a obra de S.S. Viktor Ivan I Busa, ao obter o reconhecimento oficial da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, pelas autoridades oficiais do Brasil, e permitindo que a Igreja integre junto as Igrejas Católicas Apostólicas Romana, Anglicana, Católica Ortodoxa Siriana, Luterana, Metodista, Cristã Reformada e Presbiteriana, no CONIC – CONSELHO NACIONAL DE IGREJAS CRISTAS DO BRASIL, participando de campanhas.
Com o notável crescimento da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, foi confirmado em 2010 pelo Santo Sínodo Geral a restauração do Patriarcado das Américas e Eurásia da Santa Igreja Católica Ortodoxa "Sucessão Sto. Wolodymir" - IOBE/AOCC, que inclui desde o início a Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, sendo conhecida como Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava no Estrangeiro.
Assim, S.B. Moran Mar Athanasios, Arquieparca Metropolita Primaz da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, é entronizado na cidade de São Paulo - Brasil, em 12 de janeiro de 2013, como Patriarca Soberano da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava no Estrangeiro, sendo conhecido pelo nome de S.B. ATHANASIOS 1º ALOYSIOS.

O Arcebispo Metropolita Mar Athanasios I, tem como seu Coadjutor Mar Jacob Onei Carlos Lopes, Bispo-Eparca e Secretário-Geral do Vicariato Patriarcal.

Mar Jacob Onei Carlos Lopes

S.S. Viktor Ivan Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa), juntamente com o Patriarca Ortodoxo da Igreja do Chipre e Presidente da República do Chipre, S.B. Makarios III, fundou o Parlamento Mundial para Segurança e Paz, Organismo Intergovernamental de amplo reconhecimento em mais de 126 países, sendo S.S. Viktor Ivan Busa, Lord Presidente do Organismo. S.B. Mar Athanasios Iº (Luiz Antonio do Nascimento) é o Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário do Parlamento e Ministro Plenipotenciário no Brasil.
A Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava no Estado do Rio de Janeiro, encontra-se sedeada em Jacarepaguá - na Eparquia do Estado do Rio de Janeiro - Igreja de São Sebastião e São Jorge, sob a direcção de Mar Nagui Youssef Zayat - Arquieparca do Estado do Rio de Janeiro, jurisdicionada pelo Vicariato Patriarcal no Brasil para as Américas e toda Itália, em São Paulo - SP - Brasil.

Mar Nagui Youssef Zayat

Na República Argentina, conta com um Vigário Episcopal, Mar Valerian de Silio (Alfredo Mario Mingolla Montrezza), que representa naquela Nação o Vigário Patriarcal e Arcebispo Metropolita Geral, S.B. Mar Athanasios Iº (Luiz Antonio do Nascimento).

Mar Valerian de Silio (Alfredo Mário Mingolla-Montrezza)

Com o trabalho de Mar Valerian de Silio (Alfredo Mário Mingolla-Montrezza), a Igreja na Argentina encontra-se registada no Ministério de Relações Exteriores, Secretaria de Culto sendo o Templo Ortodoxo de Nossa Senhora de todos os Mártires e São Miguel Arcanjo, consagrado por S.B. Mar Athanasios Iº e introduzido seu Vigário e Proto-Sincelo, Mar Valerian de Silio (Alfredo Mário Mingolla-Montrezza), ficando perpetuamente sob a obediência, jurisdição e potestade da Metropolia Geral sediada no Brasil. A Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava - IOBE, actua de modo independente do Patriarcado de Moscovo e da Metropolia Russa em Exílio assim como da Igreja Bielorrussa dependente de S.S. Kyril I, Patriarca de Moscovo.

S.S. Kyril I, Patriarca de Moscovo

Com o nascimento em Portugal da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica no ano 2004 sob o impulso de S.B. Mar Alexander I da Hispânea (Paulo Jorge de Laureano) a mesma recebe a Sucessão Apostólica legítima que procede do IIº Patriarca da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava e que é canonicamente transmitida ao seu primeiro Arcebispo Primaz Katholikos. Esta Santa Igreja Católica e Ortodoxa nasce como uma verdadeira e legítima Igreja Ortodoxa Canónica, que professa a mesma Fé que as Santas Igrejas Ortodoxas Russa, Grega, Sérvia, Romena, Polaca, Checa, Búlgara, Ucraniana, Americana, etc. A sua Teologia, a sua Liturgia (latina / ocidental) e os seus Dogmas não diferem em nada dos das outras Igrejas Ortodoxas (latinas e bizantinas) espalhadas pelos quatro cantos do Mundo, respeitando o direito ás suas particularidades. Com o nascimento desta recente Jurisdição Canónica é demonstrado que o Espírito Santo que desceu sobre os Apóstolos em Pentecostes, continua através dos tempos a iluminar o nascimento de Igrejas Independentes e de muitas Nacionais, conforme o costume da Igreja Primitiva. Nascendo da acção do Espírito Santo, que sopra onde quer e age segundo a sua sabedoria infinita, totalmente de forma independente, mas soberanamente actuante naqueles que aceitam a vontade de Deus nas suas vidas, livres dos erros e crimes do passado sangrento e vergonhoso.

Mar Alexander I da Hispânea (Paulo Jorge de Laureano)

Confirmando o seu esforço por unificar os irmãos na mesma Fé Ortodoxa e respeitando os usos e costumes próprios de cada comunidade, recebe a Sagrada Bula Patriarcal de 21 de Junho de 2008, de S.S. Viktor Ivan I Busa (Vittorio Giovanni Maria Busa), Bispo da Cidade Santa, Sucessor dos Santos Apóstolos Pedro e André, Patriarca Ecuménico da Igreja Universal Ortodoxa Eslava, Patriarca da Diáspora Ortodoxa do Ocidente e do Oriente, Patriarca de toda a Bielorrussa, Arcebispo Metropolita de Byalystok e Grande Prior Ecuménico da Pia União da Igreja Cristã, pela qual concede à Igreja Católica Ortodoxa Hispânica o seu Reconhecimento Canónico e Patrocínio Eclesiástico Universal, reconhecendo a mesma como “filha legitima da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava”, comungando dessa forma da sua Legitima Canonicidade.

Tomos de Reconhecimento Canónico e Patrocínio Eclesiástico Universal

 

 

A permanente tentativa da população carpática de conseguir sua independência cultural e política, e dos poderosos vizinhos do Oriente e Ocidente, Polónia e Rússia, teve como resultado o surgimento de uma Igreja Ortodoxa Autónoma, a que seria no século XX a Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava - IOBE, que foi pela primeira vez declarada Autónoma no século XIII, e existiu como tal, intermitentemente até o século XVII.
Nos séculos posteriores, o povo ruteno, perdeu a oportunidade de um desenvolvimento nacional independente, e viu-se por isso privado da sua Igreja Autónoma, devido a anexão do seu território, primeiro a Polónia e finalmente a Rússia.
Em 1918, diante do triunfo da Revolução Bolchevique e a supressão da monarquia russa, o povo Ruteno (bielorrusso) declarou a sua independência; porém essa tentativa nacionalista foi afastada pelos comunistas com a qual, se eliminou a possibilidade de restaurar a Igreja Bielorrussa Autocéfala. Sem embargo, quando o regime soviético começou a perseguir a Igreja Ortodoxa Russa, com o pretexto de que era um baluarte da velha autocracia e promotora de actividades contra-revolucionárias de todos os tipos, a Igreja Bielorrussa, aproveitou a crise religiosa de Moscovo, para reunir os lideres nacionais em um Sínodo, o qual voltou a criar a Igreja Ortodoxa Bielorrussa Autocéfala, sob a base do precedente histórico mencionado e seguindo as instruções dadas pelo Patriarca Russo Tikhon Bellavin que seguindo a decisão do Santo Sínodo Russo e do Supremo Conselho Eclesiástico da Igreja Russa Ortodoxa, reunido em 7 (20) de Novembro de 1920, em cujo cânon nº 372, dizia que: “diante do caso de que uma Eparquia se visse privada de toda comunicação com o Patriarcado de Moscovo, esta deve assumir a plena autoridade”. Foi assim que entenderam os Bispos Russos nos Estados Unidos, os quais criaram (devido à posterior prisão do Patriarca Tikhon Bellavin), a Igreja Ortodoxa Russa em Exílio, tendo até há poucos anos uma administração autocéfala e totalmente desvinculada de Moscovo.
A decisão de criar Eparquias Autocéfalas foi confirmada canonicamente pelo sucessor do Patriarca Tikhon, durante a sua prisão pelos soviéticos, o Arcebispo de Tirno, Metropolita e Administrador do Trono Patriarcal, Monsenhor Afangel, em 05 (18) de Junho de 1922, desde a cidade de Yaroslavl, emitindo a resolução nº 14, dirigida a todos os Bispos Ortodoxos de Tradição Eslava, e que desde esse dia e até a reposição de um Patriarcado legítimo e livre de toda opressão do Estado, todas as Eparquias eram declaradas independentes, ou seja, autocéfalas. A decisão tomada pelo Delegado Patriarcal, Metropolita Afangel, que havia facultado as autoridades religiosas locais a actuar independentemente em caso necessário, permitiram que Monsenhor Melquisedec (Mikhail Paevsky), Bispo de Minsk e Turov, fosse eleito Metropolita da Eparquia Bielorrussa.
Em 23 de Julho de 1922 este histórico acontecimento foi anunciado na Catedral de Minsk, para total satisfação da população, elevando a Antiga Eparquia ao Grau de Igreja Nacional, tendo a recém criada Igreja Ortodoxa Bielorrussa procurado contribuir para uma renovação do espírito local e assim proteger-se das pressões da Nova Igreja pro-comunista de Moscovo, denominada Igreja Viva ou Renovada.
A Nova Igreja Moscovita organizou-se por mandato do Soviético Supremo, e por decisão de Lenine, dispondo que se criassem vários movimentos e agrupamentos clericais declaradamente comunistas, e estas eram a Igreja Viva, a Igreja Vivente e as Igrejas Renovadas, que eram dirigidas por bispos pro-soviéticos e teriam como missão criar um cisma dentro da Igreja Ortodoxa e suprimir o clero anticomunista, leal ao Patriarca Tikhon Bellavin que se encontrava encarcerado em Lubianka, pela polícia secreta do Soviete a temível GPU, posteriormente chamada KGB ou NKVD. Entretanto o entusiasmo religioso mantinha-se ainda muito vivo, tendo sido instalados três Bispos nos recém restaurados Bispados Bielorrussos: Monsenhor Filaret (Feodosy Ramensky) em Bobuisk, Monsenhor Nicolai (Nicolai Shemetilo) em Slutsk e Monsenhor Ioann (Ivan Pashin) em Mozyr, tendo sido Ordenados Sacerdotes Bielorrussos para realizar tarefas religiosas e educativas e educando a sacerdotes jovens e acólitos. Introduziu-se a língua bielorrussa nos serviços religiosos, reforçaram-se os coros, celebraram milhares de procissões religiosas acompanhadas da entonação de hinos, e deram nas catedrais concertos religiosos e conferências sobre os temas teológicos e filosóficos. Durante este período a Igreja Bielorrussa foi uma unidade espiritual e cultivou uma intensa vida religiosa.
Os números dos serviços religiosos, a grande quantidade de paroquianos jovens e a responsabilidade do Metropolita Melquisedec (Mikhail Paevsky), que era um excelente organizador da vida religiosa e a quem a sua grei amava intensamente, chamaram nova e rapidamente a atenção das autoridades soviéticas, e a Igreja Ortodoxa Bielorrussa Autocéfala foi outra vez objecto de seus ataques. O primeiro golpe consistiu em submeter a juízo o Metropolita Melquisedec e ao clero das Catedrais, por supostamente ocultar tesouros religiosos, que deveriam ser utilizados, para combater a miséria causada pela inundação do Volga, apesar do feito de que tudo já havia sido retirado, como indicava os inventários, se realizando um juízo-espectáculo em Agosto de 1922, que durou vários dias. A polícia montada tropeçou com dificuldades ao tratar de fazer retroceder aos milhares de pessoas que rodeavam o edifício dos tribunais. A mesma sala de audiência estava abarrotada de fiéis, que se colocaram unanimente de pé quando os acusados foram conduzidos ao banco dos réus.
A multidão reunida na sala reaccionou vivamente ante a injustiça da acusação e aplaudia quando as declarações das testemunhas revelavam a falsidade das acusações soviéticas.
Em lugar de comprometer, como se desejava, o clero bielorrusso, e aterrorizar as comunidades dos fiéis, o juízo produziu um efeito oposto.
“Tendo em conta o poderio do regime soviético”, suspendeu-se a sentença e os acusados foram postos em liberdade, tendo após estes processos a Igreja florescido em uma medida ainda maior. Os cantos das velhas canções populares fizeram-se ouvir, ornamentos e bordados bielorrussos começaram a adornar as Igrejas, e intensificou-se a preparação de sacerdotes jovens para as tarefas religiosas.
O segundo golpe constituiu-se com a infiltração em Minsk em 1924, com membros do clero da Igreja Redeviva Soviétofila. O Metropolita Melquisedec foi chamado a Moscovo, e agentes soviéticos e guardas da GPU (Serviço Secreto Comunista) instalaram na Catedral os Bispos da Nova Igreja. O povo resistiu valentemente. Os trabalhadores ferroviários de Minsk opuseram-se ao Novo Clero com especial energia.
Muitos foram presos, celebraram-se juízos-espectáculos, os presos foram golpeados nas celas da GPU e deportados. Depois de ocuparem a Catedral, os Bispos da Igreja Rediviva e as Autoridades leigas proclamaram a criação da Igreja Rediviva Autónoma da Bielorrussia e começaram a oprimir o clero urbano e das aldeias que se recusavam submeter-se a ela.
Muitos sacerdotes foram separados de suas paróquias. Apesar de tudo, depois de ser libertado do cárcere o Patriarca Tikhon, em 15 de Julho de 1923, e de denunciar publicamente a situação ilegal das autoridades da Igreja Rediviva, a unidade da Igreja, começou a fazer-se mais forte nas Eparquias Autocéfalas da Ucrânia, Polónia e Bielorrussia, sendo nesta ultima dádiva os esforços dos paroquianos ortodoxos da Catedral de Minsk, que foram tomadas dos Bispos da Igreja Rediviva. O Metropolita Melquisedec enviou de Moscovo à sua grei uma atrevida missiva, datada de 12 de Outubro de 1923, certificando que a autodeterminação Autocéfala da Igreja Bielorrussa como também o título de Metropolita, não haviam sido condenados nem anulados pelo Patriarca Tikhon. Pouco tempo depois o Metropolita Melquisedec voltou a Minsk e empreendeu a tarefa de reconstruir a organização da Igreja em toda a Bielorrussia.
O terceiro golpe foi a prisão do Metropolita Melquisedec e a sua deportação a Krasnoyarsk em 1926, quando também foi destituído. Este foi um dos primeiros serviços que prestou a representação do regime soviético e o Metropolita Sergue Stagorosky, o qual já gozava da confiança soviética antes de sua aberta declaração de lealdade ao regime de Moscovo, em 1927. Em continuação desta declaração se iniciou a mais brutal opressão do clero autónomo e dos fiéis bielorrussos ortodoxos. Cargos infundados de resistir ás autoridades legais da Igreja, de “espionagem a favor da Polónia”, de actividade reaccionária por parte do clero e de apoio ao clero, deram o pretexto para a realização de execuções cujo número foi um constante aumento, grande quantidade de Igrejas foram fechadas á força, clausuradas por intermédio da imposição de exorbitantes tributos, e recorrendo a provocações terroristas. O substituto actuante do Metropolita Melquisedec, Bispo Filaret de Bobruisk, tratou de manter viva a vida religiosa bielorrussa.
Um Sínodo do clero e dos leigos, convocados por ele, celebrou-se em Agosto de 1927 e adoptou estatutos para a Igreja Bielorrussa Autocéfala, que previam a liberdade de interferências provenientes da Hierarquia com sede em Moscovo. Sem embargo, a posição do Metropolita Sergue Stagorosky, de notória subordinação ao regime comunista e a irrupção da colectivização, mais a destituição do Movimento Democrata Nacional na Bielorrussia fizeram impossível a continuação da existência de uma Igreja Autocéfala. Entre o clero da Igreja Bielorrussa Autocéfala que morreu no cárcere, encontravam-se os Bispos Ioann de Mozyr, Nololai de Slutsk e Filaret de Bobruisk, uma grande quantidade de Sacerdotes, incluindo membros do Santo Sínodo, morreram na prisão e no exílio; 2800 Paróquias da Igreja Bielorrussa Autocéfala foram arrasadas e 3600 Sacerdotes da Igreja Bielorrussa Autocéfala foram reduzidos ao estado leigo.
Com o objectivo de destruir o prestígio moral do Metropolita Melquisedec aos olhos de sua grei bielorrussa, chamaram-no novamente a Moscovo em 1931 “para tomar parte na sessão de verão do Sínodo”. Sem embargo, em 17 de Março de 1931 morreu prematuramente, e levou consigo na viagem eterna, o segredo da pressão que exerceram sobre ele e as condições propostas. Em Minsk foram destruídos muitos dos edifícios religiosos de significação histórica e artística, a Catedral que datava do século XVI, foi dinamitada e o sítio em que se levantava ficou baldio, parecendo como símbolo da Igreja arruinada, a Catedral de Ekaterinsk, constituída no século XVII e que foi convertida em depósito de hortaliças; o Convento de Preobrazhensk transformou-se num clube desportivo; logo depois de suas Monjas serem expulsas e obrigadas a casar-se, durante os anos da opressão exercida pela Igreja Rediviva debaixo do bispo comunista Alejandro Shcherbakov; e o Mosteiro do Espírito Santo, do século XVI, que foi usado como lugar de depósito dos arquivos da cidade e a Igreja Barroca Arkhiereiskaya, do século XVIII, que foi destruída.
A Nova Igreja Ferroviária foi também dinamitada, e a “Velha Igreja de Madeira”, passou a ser a sede de um clube de surdos-mudos. As Igrejas dos Cemitérios foram destruídas, o mesmo que uma série de Igrejas em Mogilev, Vitebsk, Polotsk, Kolkanov e outras cidades da Bielorrussia. Depois da “ocupação” da Bielorrussia Ocidental pelas tropas soviéticas em 1939, as aspirações da Igreja em prol da independência nacional foram sufocadas pelos esforços conjuntos do Patriarcado de Moscovo no regime soviético. Uma quantidade de sacerdotes ortodoxos morreram nos campos de concentração ou no exílio, e membros de suas famílias foram deportados para a Sibéria. Em 1940 foram executados muitos leigos pertencentes à Igreja. Impuseram-se ao clero pesados tributos, que excediam audaciosamente as suas entradas. Os sacerdotes que deixavam de pagar esses exorbitantes impostos eram presos imediatamente e condenados entre 10 a 20 anos de trabalhos forçados, juntamente com os leigos que recolhiam fundos para pagar as taxas. Muitas Igrejas foram fechadas e o clero foi obrigado ao trabalho comunitário em fábricas do Estado, as quotas do trabalho eram tão elevados que era impossível cumpri-las.
A segunda guerra mundial permitiu que as tropas alemãs libertassem a Bielorrussia do regime soviético, e assim o começo do avanço alemão para o oriente. Entretanto, as ruínas fumegavam, e todavia, se iniciou a restauração da vida religiosa. Em Minsk, a Igreja de Santo Alejandro Nevsky, no cemitério militar, foi a primeira a abrir. O povo levou à Catedral contribuições de toda espécie: ícones, pinturas em tela bordada, tapetes, toalhas de altar, bíblias, almanaques, e uma abundância de flores. Da Bielorrussia Ocidental chegou um Monge para dirigir os serviços religiosos, que foram renovados regularmente. O povo bielorrusso, que durante décadas havia vivido debaixo do sistema soviético de educação ateia e comunista, converteu-se de novo num povo religioso. Organizaram-se coros e celebraram-se cerimónias religiosas, que incluíam matrimónios, orações e sufrágios. Chagaram a baptizar até 10000 jovens num dia.
Empreenderam-se na construção de Igrejas que não haviam sido destruídas por completo nas cidades grandes e nas pequenas aldeias. Em 09 de Setembro de 1941 o Metropolita Dionísio de Varsóvia convoca um Concilio para a Igreja Bielorrussa. Em 1941 e 1942 foram designados três Bispos para as sedes bielorrussas, e entre 30 de Agosto e em 02 de Setembro de 1942 um Sínodo da Igreja Ortodoxa Bielorrussa, celebrado em Minsk, reconhece a Igreja Bielorrussa Autocéfala, com o Metropolita Panteleimon à sua cabeça.
A restauração da vida religiosa teve lugar debaixo das difíceis condições impostas pela segunda guerra mundial, no meio de lutas de guerrilhas paisanas pro-soviéticas e grupos pro-nacionalistas, diante da falta de alimentos e materiais de construção, e também pelas completas relações entre as forças alemãs, que contavam com o apoio do Movimento Nacionalista Bielorrusso. Os agentes soviéticos intentaram recorrer á provocação para impedir o progredir de uma Igreja Ortodoxa favorável a Alemanha, tendo muitos dos líderes da vida religiosa e pública padecido nas mãos dos paisanos soviéticos. Propôs-se que uma Nova Igreja, de iguais dimensões, se edificasse no lugar da arruinada Catedral de Minsk, como um símbolo espiritual da nação e da liberdade religiosa no estado bielorrusso. Houve ordenações de sacerdotes, celebraram-se cursos de instrução religiosa durante a ocupação germana até 1944.
A retirada da Alemanha inverteu fatalmente o curso da história. Uma vez mais as forças armadas soviéticas invadiram a Bielorrussia e foram sufocados as aspirações nacionais. Ao negar-se a reconhecer a autonomia bielorrussa, o Patriarcado de Moscovo prestou de novo um serviço ao regime soviético. O clero e o povo, que resistiram á fusão com a Igreja Moscovita, foram cruelmente maltratados pelas autoridades soviéticas. Voltaram a fazer-se deportações em massa, execuções e prisões, a NKVD voltou a perseguir e liquidar os que haviam participado do Sínodo Autocéfalo de 1941 reorganizando a Igreja Bielorrussa Nacional, julgando-os inimigos do Sistema Soviético.
L. Tsanava, chefe da NKVD na República Socialista Soviética Bielorrussa em 1951, declarou: “A maioria dos nacionalistas bielorrussos... ao serem descobertos e apanhados, sofreram um castigo merecido... A maior parte deles baixaram á sepultura, e os que esperam não poderão evitar o castigo que merecem”, citado por L. Tsanava, “A guerra Nacional de Resistência Bielorrussa”, Vol. II, Minsk, 1951, pg. 689 e 853, cit. em I Kasiak “Historia da Igreja Ortodoxa do Povo Bielorrusso”, NY. 1956 pg. 139-140.
No verão de 1957, já não havia paróquias ortodoxas autocéfalas no território da Bielorrussia. Das antigas Eparquias, só Minsk e Bobruisk permaneciam como bispados. No seminário religioso, o ensino voltou-se para o idioma russo. O Metropolita da Bielorrussia, Monsenhor Pitirim (Sviridov), um dos clérigos de maior confiança do Patriarcado de Moscovo, estava promovendo a passos acelerados a desnacionalização do povo bielorrusso, e era vigoroso adversário de seu passado autonomista e pro-soviético.
A hierarquia da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Autocéfala foi empurrada ao exílio. Actualmente existem Paróquias da velha tradição da Igreja que seguem desenvolvendo a sua vida religiosa conforme as tradições espirituais herdadas da velha pátria bielorrussa nos Estados Unidos, Canadá, Europa e América do Sul.


Restauração do Patriarcado Bielorrusso em Exílio (1950-2001)


Em 1950 o Arcebispo Bielorrusso, Konstantin Jaroshevich, Consagrado pelo Patriarca da Igreja Ortodoxa Albanesa, Arcebispo Stylian Fan Noli, em exílio nos Estados Unidos, transmite a Metropolia Bielorrussa a Monsenhor Peter Andrew Zurawetzky, que havia sido Consagrado Bispo em 15 de Outubro de 1950, pelo Metropolita da Igreja Polaca Nacional, Arcebispo Zielonka, junto com o Metropolita Nicholas Bohatyretz da Antiga Igreja da Ucrânia, e o Arcebispo Peter Williamovich, da Antiga Igreja de Utrecht, tendo sido esta Consagração realizada na Igreja Russa no Exílio, em Springfield, nos Estados Unidos; a linhagem canónica do Arcebispo Zurawetsky, proveniente directamente do Metropolita Russo em Exílio, Joseph Klymowycz (1880-1961), que foi o Principal Consagrante em 15 de Outubro 1950, junto aos mencionados Arcebispos Zielonka, Bohatyretz e Willamovich. Monsenhor Klymowycz havia sido Consagrado Bispo em 1935 pelo Arcebispo Russo, Nicholas J. Kedrof (1902-1944), o qual por sua vez no mesmo dia 03 de Novembro de 1935, havia sido Consagrado Bispo e Sucessor para a Igreja Ortodoxa no Exílio pelo Arcebispo Christopher Kontagiorgios (1894-1950), que em 10 de Fevereiro de 1934 na Igreja de São Constantino e Santa Helena em N.Y. havia recebido o Episcopado, pela Sucessão Canónica.
O Patriarca Tikhon Bellavin, através da Sucessão de Monsenhor Sophronios Bishara, quem juntamente com o Patriarca Albanês Stylian Fan Noli, deram origem a esta linhagem apostólica, que através de Monsenhor Peter Andrew Zurawetzky passa ao Primeiro Patriarca Bielorrusso Autocéfalo, S.S. Uladyslau Iº (Rizy Rysky), Consagrado Bispo em 20 de Setembro de 1965 por S.S. Wolodymyr I (Walter Myron Propheta), Patriarca da Antiga Igreja da Ucrânia e fundador da Igreja Católica Ortodoxa Americana (The American Orthodoc Catholic Church). Em 25 de Dezembro de 1925, Monsenhor Zurawetzky, como Presidente do Santo Sínodo para todas as Igrejas Ortodoxas da Diáspora Ocidental e Oriental, em sua qualidade de Arcebispo de Minsk, por Tomo recebido do Arcebispo Bielorrusso, Metropolita Konstantin Jaroshevich, eleva Monsenhor Rizy Rysky na Igreja de Santo André, em N. Y. (USA), e por Mandato do Sínodo de Subozhnia, confirmado pelo Certificado Sinodal Ecuménico de 01 de Janeiro de 1966, outorgando o Tomo e Munus correspondente a Monsenhor Rizy, proclamando-o como o Primeiro Patriarca Bielorrusso Eslavo no Exílio, sob nome de S.S. Ulasdylau Iº, o qual dez anos depois, por razões de saúde, renuncia ao seu Patriarcado a favor de Monsenhor Vittorio Giovanni Busà, o qual nasceu em Palermo, Sicília, Itália em 15 de Dezembro de 1941 e recebeu sua Consagração Episcopal Ortodoxa, das mãos de Monsenhor Maurice de Vent, em 13 de Maio de 1973.
Monsenhor Busà previamente havia recebido o Munus Episcopal do Arcebispo Monsenhor Joseph Maria Thiesen, em 06 de Março de 1971 pela Alts Romish Katholische Kirche, e confirmado pelo Arcebispo Monsenhor Frederick Charles King, em 10 de Agosto de 1972 pela Old Roman Catholic Church, e pelos Bispos Helmunt Norbert Mass, Henryk Marciniack, e Jacob Rokita, em 22 de Abril de 1973 pela Katholische der Marieciten in Deutschland.
Em 26 de Dezembro de 1976 Monsenhor Busà foi elevado a dignidade de Arcebispo Metropolita de Byalystock e Patriarca Coadjutor da Bielorrussia, por S.S. Uladyslau Iº (Rizy Rysky), e nesse mesmo dia devido a precária saúde do Patriarca e de acordo com sua soberana vontade, na Catedral da Dormição, N Y (USA), Monsenhor Busà é eleito unanimemente por todo o Sínodo Bielorrusso como o segundo Patriarca da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, adoptando o nome de S.S. Viktor Iván Iº Busà (Vittorio Giovanni Busà).
S.S. Ulasdylau Iº (Rizy Rysky), em sua condição de Presidente do “WORLD PATRIARCATES OF AMÉRICA”, organizou a administração apostólica de uma possível Igreja Ortodoxa para todo território da República Socialista da Bielorrussia, que actuaria de modo autónomo do Patriarcado em Exílio; mas em 20 de Janeiro de 2001, S.B. Emigidius Rizy Rysky (Yuri I) agrupa diferentes Igrejas Ortodoxas dos Estados Unidos sob uma nova Jurisdição, denominada Igreja Ortodoxa Arquiepiscopal do Atlântico, ficando a Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava, da Diáspora Mundial, sob a única Autoridade Apostólica de S.S. VIKTOR IVAN I º BUSÀ (Vittorio Giovanni Busà) que actua de modo independente do Patriarcado de Moscovo e da Metropolia Russa em Exílio.

S.B. Emigidius Rizy Rysky (Yuri I)

Em 23 de Setembro de 2002, durante visita oficial de S.B. Mar Athanasios Iº a Palermo - Itália, foi aprovado por todo o Santo Sínodo Bielorrusso e por S.S. Viktor Ivan I Busà (Vittorio Giovanni Busà) a Constituição da Igreja Ortodoxa Bielorrussa Eslava (Igreja Ortodoxa Russa Autocéfala em Diáspora) e comunicado oficialmente em 27 de Novembro de 2002 sob o registo de títulos nº 2787449, por tradução oficial de 27 de Janeiro 2003.


Videos de Mons. Dom Athanasios (Luiz António do Nascimento) explicando a origem do Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo


 

Arcebispo de Lisboa e Primaz Katholikos

S.B. Dom ++ Paulo Jorge de Laureano
(Mar Alexander I da Hispânea)


Home / Conceito de Canonicidade

Última actualização deste Link em 12 de Outubro de 2014