Igreja Católica Ortodoxa Hispânica


Resposta
da
IGREJA CATÓLICA ORTODOXA HISPÂNICA

a todas as falsas afirmações feitas contra si e seus clérigos, da parte do “arcebispo primaz”
da IGREJA APOSTÓLICA CATÓLICA ORTODOXA,
sr. Armando da Costa Monteiro

 

Acusações da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa
para com Mons. Carlos Alberto Luconi

01º - Acusa-o de ser Sagrado ao Episcopado por um "falso bispo", pelo que é falso bispo.
02º - Acusa-o de não ser Ortodoxo.
03º - Acusa-o de ter praticado actos de "simonia" com o bispo (bispos) ordenantes.
04º - Acusa-o de ser conde e bruxo.

 

 

01º - Acusa-o de ser Sagrado ao Episcopado por um "falso bispo", pelo que é falso bispo.

a) «LUCONI SAGRADO PELO FALSO BISPO PAULO LAUREANO»
b) «KATHOLICOS PAULO JORGE LAUREANO e o LUCONI»

Perante a falsa acusação do sr. Armando Monteiro, um indivíduo que unicamente pode estar mentalmente doente e incapaz, de que S.E.R. Mons. Carlos Alberto Luconi, foi Sagrado ao Episcopado por falsos Bispos, pelo que seria igualmente um falso Bispo, não podemos deixar de repor a honra e o bom nome de todos os visados.
Em Janeiro de 2009, foram os Bispos de Portugal unidos ao Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo, convidados por S.E.R. Mons. Alfredo Mário Mingolla-Montrezza (Mar Valerian de Silio), Arcebispo de Buenos Aires, da Igreja Ortodoxa Belorrussa Eslava (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo), a serem Co-Consagrantes na Sagração Episcopal de Mons. Carlos Alberto Luconi, para a Igreja Católica Ortodoxa na República Argentina e sob o Santo Sínodo dos Estados Unidos da América. Assim, a cerimónia de Sagração Episcopal realizou-se em 07 de Fevereiro de 2009 (ver DC-69), no Templo da Igreja Evangélica Presbiteriana Lisbonense, em Lisboa, sendo Sagrante Principal, S.E.R. Mons. Alfredo Mário Mingolla-Montrezza (Mar Valerian de Silio), e tendo como Co-Consagrantes: S.B. Mons. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea); S.E.R. Mons. Dom Delberto Constantino Araújo de Aguiar, Arcebispo de Lisboa e Vigário Geral da Igreja Apostólica Luso-Hispânica; S.E.R. Mons. Dom Luís Manuel dos Reis Gonçalves, Arcebispo Titular da Lusitânia e Vigário Geral da Igreja Universal Ortodoxa Eslava; e o Sr. Fernão Manuel Marques Gomes (Deposto e reduzido ao Estado Laical em 29 de Junho de 2015), então Arcebispo Titular de Tarso e Vigário Primacial da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica.
Desta forma, S.E.R. Mons. Carlos Luconi foi Sagrado como Bispo Titular de Tartesus e Coadjutor de Milão, estando o acto sacramental de acordo com o artº 01 das Regras Apostólicas, ficando sob a dependência directa de S.E.R. Mons. Alfredo Mário Mingolla-Montrezza (Mar Valerian de Silio).
Este pedido, deveu-se ao facto da necessidade de existir um Colégio Episcopal que imponha as mãos sobre o Eleito, como exigem as Regras Apostólicas, os Santos Concílios Ecuménicos e a Tradição da Igreja, pelo que, a malevola acusação de alguém que foi "ordenado" em desacordo com o artº 01 das Regras Apostólicas, só pode ter como intenção denegrir os visados. Talvez tenha esquecido o sr. Armando Monteiro, o que acerca disso afirmou o Arquimandrita José, da Igreja Católica Ortodoxa de Portugal, quando diz: «Diz que foi sagrado por um bispo que foi sagrado católico romano, o brasileiro D. Milton Cunha... (...) O pior, segundo elementos de um outro culto que mantêm ligações com D. Milton, é que o bispo brasileiro conta muitas razões de queixa. «Ele diz-se engado por Armando Monteiro em vários domínios». (...)» (ver RN-03).
Os cinco Bispos que Sagraram ao Episcopado a S.E.R. Mons. Carlos Alberto Luconi, são verdadeiros, legítimos e canónicos Sucessores dos Apóstolos, sob o Omoforium de S.S. Viktor Ivan I Busa (Prof. Doutor Vittorio Giovanni María Busa), IIº Patriarca Ortodoxo Bielorrusso Eslavo.

02º - Acusa-o de não ser Ortodoxo.

a) «...CONDE, BRUJO, ciertamente NO ES ORTODOXO»

O sr. Armando Monteiro, quando de língua afiada acusa a S.E.R. Mons. Carlos Alberto Luconi, de não ser Ortodoxo, talvez tenha razão unicamente pelo facto do visado se ter afastado da Comunhão Canónica em que foi ordenado, quando solicitou ao seu Sagrante Principal, S.E.R. Mons. Alfredo Mário Mingolla-Montrezza (Mar Valerian de Silio) a autonomia e ingressou noutra Comunhão, que não professa a Fé Ortodoxa (ver DC-70). Porém, o facto de já não ser Ortodoxo actualmente, não se deve ao seu passado ocultista, como tenta insinuar o sr. Armando Monteiro, pois quando de sua Sagração Episcopal era Ortodoxo.

03º - Acusa-o de ter praticado actos de "simonia" com o bispo (bispos) ordenantes.

a) «QUANTO ESPÍRITO TERÁ RECEBIDO O Dom Paulo Laureano PARA ORDENAR O LUCONI?»

Actos de simonia (tráfico de coisas sagradas; venda de bens espirituais), nunca fizeram parte dos actos dos Bispos Sagrantes de S.E.R. Mons. Carlos Alberto Luconi, pelo que a alusão a tal não deixa de ser mais uma das mentiras do sr. Armando Monteiro, possivelmente nalguma recordação de si mesmo e do seu enorme curriculum de "virtudes" e "bons costumes". Para quem vende títulos de nobreza (ver DC-35; RN-36; RN-37; RN-38; RN-39; RN-40; RN-45), não admira que possa comprar ou vender "ordenações", mesmo sabendo que quer uns quer outros actos carecem de total validade. Mas tais actos, não são praticados pelos Bispos do Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo.
Saiba o sr. Armando Monteiro, que, a quantidade de "espírito" que S.B. Mons. Dom Paulo Jorge de Laureano (Mar Alexander I da Hispânea) recebeu para ser Co-Consagrante de Mons. Carlos, foi a mesma que doou aos Bispos que o Sagraram ao Episcopado, e a mesma que doou aos que o Ordenaram ao Diaconado e ao Presbiterado, e a mesma que recebeu de todos aqueles que Ordenou. Quando o bloguista usa malévolamente a palavra "espírito" referindo-se ao dinheiro (privilégios) como compra ou venda de Ordenações, esquece o indivíduo o Espírito Santo do qual carece desde há muito tempo, pois somos levados a pensar que, a ter S.E.R. Dom Milton Cunha, Arcebispo Primaz do Brasil, «...muitas razões de queixa...» do sr. Armando Monteiro, possa tal facto significar a existência de dolo nas "sagrações" por ele recebidas. Será bom recordar igualmente o que vem publicado acerca do mesmo "sagrante" do sr. Armando Monteiro, em que se diz: «...a Sagrada Congregação para os Sacramentos, não reconhece nenhuma dessas ordenações depois de um tal de Milton Cunha ter vendido o sacramento e praticado a simônia...» (ver RN-58).

04º - Acusa-o de ser conde e bruxo.

a) «...CONDE, BRUJO, ciertamente NO ES ORTODOXO»
b) «BRUJO /Sua Excelência Reverendíssima Mons. Carlos Alberto Luconi?..... Por las Manos de D.PAULO DE JESUS LAUREANO»
c) «Brujo, Conde u Obispo??? LUCONI»

S.E.R. Mons. Carlos Luconi, nasceu em Buenos Aires, na República Argentina, em 17 de Março de 1958, sendo filho de Dom Carlos Luconi, e de Dona Clelia Sammartino. Casado e pai de vários filhos, veio na sua vida a percorrer por caminhos afastados da fé cristã, tendo-se dedicado à "macumba e ás práticas do oculto", chegando mesmo a ser conhecido na América Latina e até mundialmente. Porém, e como é frequente, S.E.R. Mons. Luconi foi uma das pessoas que abandonou a prática do oculto e da macumba, tendo regressado à Santa Igreja de Cristo onde recebeu a Sagrada Ordenação Presbiteral na Igreja Católica Ortodoxa da América, em 18 de Outubro de 1998, Festa Litúrgica de São Lucas Evangelista, das mãos de S.E.R. Mons. Dom Carlos Jorge Valdiserri, Bispo Titular de Vittoriana (ver DC-71).
Perante a acusação do sr. Armando Monteiro tão "canónico ortodoxo arcebispo", queremos afirmar que o passado de S.E.R. Mons. Luconi pelos caminhos do oculto, seja em que grau fôr, fazem parte do seu passado antes de se converter à Igreja, e não interferem em nada como Presbítero e agora o Bispo Carlos Luconi. Se ele foi "bruxo" ou "mago" ou "macumbeiro" antes da sua conversão a Cristo e à Igreja, tais actos devem permanecer no seu passado e não interferem com a competência da Igreja e do Bispo que o recebeu na Fé e o ordenou, pois pior é dizer-se "ortodoxo" e "bispo" da Igreja, praticando nessa qualidade actos de magia e ocultismo, como os praticados por qualquer indivíduo que se diga bruxo, caindo isso sim em heresia e excomunhão.




Home / Comunicados da Sé Apostólica / Biografias Gerais / Canonicidade Bielorrussa Eslava


Última actualização deste Link em 29 de Junho de 2015