Igreja Católica Ortodoxa Hispânica


Resposta
da
IGREJA CATÓLICA ORTODOXA HISPÂNICA

a todas as falsas afirmações feitas contra si e seus clérigos, da parte do “arcebispo primaz”
da IGREJA APOSTÓLICA CATÓLICA ORTODOXA,
sr. Armando da Costa Monteiro

 

Acusações da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa
para com Padre Humberto Jorge Pereira Rolo

(André I da Hispânea)

01º - Acusa-o de falso sacerdote ou de ser um ex-padre e de estar excomungado, assim como de ter sido expulso da Igreja Ortodoxa.
02º - Acusa-o de possuir uma pena canónica, e de ter recebido uma válida ordenação na anterior comunidade eclesial.

03º - Acusa-o de estar reduzido ao estado de leigo (deposição).
04º - Reclama potestade canónica sobre o clérigo.
05º - Acusa-o de ter faltado com a promessa de obediência, de romper a comunhão com a Igreja, e de público comportamento contra a verdade da fé, apostasia e excomunhão automática.
06º - Acusa-o de ter recebido uma segunda ordenação presbiteral.
07º - Acusa-o em tom de chacota de ter um novo nome religioso, e o título de Dom-Prior.
08º - Acusa-o de repetir os gestos da Santa Madre Igreja.

 

 

01º - Acusa-o de falso sacerdote ou de ser um ex-padre e de estar excomungado, assim como de ter sido expulso da Igreja Ortodoxa.

a) «aqui está todos os falsos: Fernão,no centro o laureano e o humberto rolo,EXCOMUNGADO»
b) «Os falsos fernão e Laureano ordenam outro falso o excomungado humberto rolo tentam sempre repetir os gestos da Santa Madre Igreja»
c) «Diz-se da Igreja Católica Ortodoxa mas foi expulso da mesma»

d) «EXCOMUNHÃO DE HUMBERTO PEREIRA ROLO-Dom André I da Hispânia»
e) «Humberto Pereira Rolo-Dom André(ex: padre católico ortodoxo,foi excomungado. CUIDADO»
f) «O Senhor Ex-Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, era a esta data 27.10.011 Presbítero da Igreja Apostólica católica Ortodoxa, tendo recebido válida e canónica Ordenação;»
g) «O Senhor Ex-Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, está excomungado e reduzido ao estado laical, Assim como os Pseudo bispos que o ordenaram em S. Frutuoso Coimbra pelo que Existe verdadeira potestade canónica sobre o referido clérigo;»

Ao tomarmos conhecimento de algumas acusações do sr. Armando Monteiro, que de uma forma nada séria, acusa mentindo, de que o Sr. Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea), teria sido "excomungado" e "expulso" da Igreja Ortodoxa, pelo que seria um "falso padre", não podemos deixar de repor a verdade.
O Sr. Padre Humberto Rolo (André I da Hispânea), abandonou a Igreja Apostólica Católica Ortodoxa de forma voluntária, em Agosto de 2011, pelo que se entende uma auto-exclusão prevista nos Estatutos (ver DC-01; DC-02), que referem: «(...) São membros fundadores aqueles a quem cabe a orientação religiosa das várias igrejas paroquiais e todos aqueles... (...) Os membros fundadores podem ser suspensos ... quando: a) Pela sua conduta e práticas reiteradas infrigirem os regulamentos e normas da associação; b) Sempre que por actos se tornem um mau exemplo para os crentes; c) Quando deixarem de ser ministros de culto; A exclusão ou suspensão de um membro fundador, quando não voluntária, terá de ser deliberada por maioria dos votos dos membros da direcção. Ao membro passivel de medida de suspensão ou exclusão ser-lhe-á dado conhecimento prévio, por escrito, com antecedência de 10 dias em relação à reunião da direcção, das acusações que lhe são feitas, podendo esse defender-se por escrito ou oralmente na reunião a que poderá assistir, embora sem direito a voto.(...)», da comunidade eclesial presidida pelo sr. Armando Monteiro, reconhecidos pelo Estado Português. Assim, tendo em atenção a penosa situação que conduziu à auto-exclusão da Comunidade Monástica e Paroquial de São Jorge de Coimbra, da obediência da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa na figura do seu "arcebispo primaz", por decisão tomada depois de ouvidos os Monges e os Fiéis presentes em Assembleia Geral e lavrado em Acta, e o referido na alínea b) do Decreto Primacial A120 (ver DC-35), em que, de acordo com o Cánone 575 § 2, do Código de Direiro Canónico da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, o clérigo Sr. Padre Humberto Rolo (André I da Hispânea) foi recebido como Presbítero e Incardinado na Arquidiocese Primacial de Lisboa, visto não termos conhecimento até à data de quaisquer decreto, declaração ou comunicado de pena canónica válida pendente sobre o referido clérigo e, que, por não ser reconhecido por esta Jurisdição Canónica nenhum Sacramento ou Sacramental emanado da sua anterior comunidade eclesial (ver DC-33), ou seja, a associação Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, pelo que proceder-se-ia à sua Ordenação Presbiteral, a fim de suprir alguma deficiência e garantir a validade de todos os seus actos ministeriais, suprindo a Igreja qualquer irregularidade ou invalidade até então. Pelo que, à data do referido papel (não passa disso mesmo) de 27 de Outubro de 2011, o referido clérigo não podia estar unido ao "arcebispo" herético nem à sua comunidade eclesial.
Ora, perante tão grave acusação, podemos afirmar que o Sr. Padre Humberto Rolo (André I da Hispânea) nunca foi excomungado nem expulso da Igreja Ortodoxa.

02º - Acusa-o de possuir uma pena canónica, e de ter recebido uma válida ordenação na anterior comunidade eclesial.

a) «O Senhor Ex-Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, era a esta data 27.10.011 Presbítero da Igreja Apostólica católica Ortodoxa, tendo recebido válida e canónica Ordenação;»
b) «O Senhor ex-Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, possuia pena canónica quando foi incardinado na Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, emitido decreto conforme as regras;»

O sr. Armando Monteiro, no alto da sua "potestade universal", acusa mentindo no tão despiciendo quanto malévolo documento na b), que o Sr. Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea) de possuir uma "pena canónica" quando da sua Incardinação na Igreja Católica Ortodoxa Hispânica (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo), porém, o próprio clérigo desconhece o referido documento, inexistente à data dos factos, tanto assim que o mesmo nem sequer foi expedido por via legal atempadamente, pelo que qual gato escondido com o rabo de fora, carece de efeito jurídico e canónico.
Ainda acerca desta acusação, queria chamar à atenção acerca de um facto: a ter o visado uma pena canónica em 27 de Outubro de 2011, de tal não tinha conhecimento nem a Comunidade, e tudo isso antes mesmo de Julho de 2011, pelo que demonstra bem o zelo pastoral de tal "arcebispo" pelo bem espiritual dos fiéis entregues ao cuidado pastoral do Padre Humberto Rolo (André I da Hispânea) (ver RN-56).
Por outro lado, o sr. Armando Monteiro, refuta, segundo a a) do texto publicado no seu blog, que o Padre Humberto Rolo (André I da Hispânea) se encontrava à data de 27 de Outubro de 2011, como "Presbítero" da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa e que além disso, tinha recebido "válida e canónica ordenação", fazendo alusão ao acto teatral realizado em 01 de Novembro de 2005 (ver RN-55). Porém, pegando nas Regras Apostólicas, nos Santos Concilios Ecuménicos e a Tradição da Igreja, como será possível o Padre Humberto Rolo ter recebido uma válida e canónica ordenação das mãos do sr. Armando Monteiro em 2005, quando o mesmo é herético, à luz de muitos actos cometidos publicamente perante a sua comunidade eclesial, para escândalo dos fiéis e da Santa Ortodoxia.
Diz o artº. 68 das Regras Apostólicas: «Se um bispo, um presbítero ou um diácono recebe de alguém uma segunda ordenação, que seja expulso da ordem sagrada, tanto o ordenado como quem o ordenou; salvo que seja fidedignamente conhecido que (na primeira ordenação) foi ordenado por herejes. Já que os que foram baptizados ou ordenados por esses, não podem ser clérigos nem fiéis». Pensa o "arcebispo Armando Monteiro" que ao praticar actos de psicopraxia (termo de pouco uso e que significa o mesmo que incorporação, a acção de um espírito através do corpo de um médium) para escândalo dos fiéis, em plena Eucaristia Dominical, possivelmente para mostrar aos presentes os seus "dons" e "poderes espirituais", não estava a cometer um acto de HERESIA?
Será que o "arcebispo Armando Monteiro" com tantos "doutoramentos" em teologia falhou as aulas sobre a heresia, ou será que obteve créditos pelos seus "dons" e "poderes espirituais" que o dispensaram de aprender? (ver RN-05; RN-13; RN-16; RN-25)

03º - Acusa-o de estar reduzido ao estado de leigo (deposição).

a) «Aplicar ao Presbítero Humberto Rolo, a redução ao estado laical de acordo com as Regras Apostólicas por faltar com a sua promessa de comunhão eclesial para com o Bispo ordenante»
b) «Que a todos os participantes seja aplicado o previsto nas Regras Apostólicas Disposições Aplicadas * RA35. Que nenhum bispo ouse realizar ordenações fora dos limites de sua diocese em cidades e povos que não estejam subordinados a ele. Se o fizer sem o consentimento daqueles dos que dependem essas cidades e territórios, que seja excomungado e igualmente aqueles aos que tem ordenado»
c) «O Senhor Ex-Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, está excomungado e reduzido ao estado laical, Assim como os Pseudo bispos que o ordenaram em S. Frutuoso Coimbra pelo que Existe verdadeira potestade canónica sobre o referido clérigo;»

Como pode um "bispo" herético valendo-se das Regras Apostólicas, "excomungar e reduzir ao estado laical” o Sr. Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea) acusando-o de faltar à obediência ao "bispo" herético que o ordenou, quando o mesmo se coloca, isso sim, fora da obediência ao "bispo" herético a que estava submetido e que infelizmente o ordenou, não por desobediência mas sim por obediência à sua consciência e para perseverar dentro da Sã Doutrina, refutando heresias e mentiras de pseudo-milagreiros.
Onde está o tribunal eclesiástico da anterior comunidade eclesial que julgou a causa do Presbítero?
Onde foi dado ao clérigo conhecimento prévio, por escrito, com antecedência de 10 dias em relação à Reunião da Direcção, das acusações que lhe são feitas, como referem os Estatutos?
Onde foi dado ao clérigo supostamente condenado o direito de se defender e expôr as razões que o levaram a se afastar da comunidade eclesial e colocar-se fora da obediência?
Será que o "arcebispo" que a todos condena e sobre todos alega possuir potestade universal, não consegue cumprir os próprios Estatudos que o obrigam perante o Estado Português (ver DC-01; DC-02)?
Neste ponto, muito nos estranha que tal “pseudo-decreto” (ver DC-15) não tenha sido enviado por carta registada e com aviso de recepção ao visado (antes através do facebook) (ver RN-11), o que se entende como à revelia, nem que o visado tenha sido informado dos motivos de tal pena, nem sequer ter sido chamado a tribunal eclesiástico (dado que o mesmo nunca existiu nem existe) acerca do que lhe é imputado, nem tão-pouco lhe tenha sido dada oportunidade de se defender acerca do que era acusado. Além de nada canónico para quem tanto tenta dar uma imagem “canónica” edificada ao gosto pessoal, parece-nos mais uma atitude de frustrada obstinação que não respeita nada nem ninguém, muito menos àqueles que honestamente sempre serviram a sua comunidade eclesial.
Não reconhecemos autoridade alguma ao sr. Armando Monteiro que com um comportamento eclesial do seu nível pseudo-decreta seja o que fôr e contra quem fôr. Mais acrescentamos, nada nem ninguém fora da Jurisdição da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo) à qual o Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea) foi incardinado e ordenado canonicamente, excepto um verdadeiro Santo Concílio Ecuménico, possui qualquer potestade ou legitimidade quer à luz do Direito Civil, quer do Direito Canónico para imitir uma válida e autêntica declaração ou sentença para com os clérigos de uma Jurisdição Canónica alheia à sua competência, carecendo de validade qualquer sentença, declaração ou decreto, que seja emanado ao abrigo do artº 21 ou qualquer outro, do referido "regulamento canónico" da Igreja Apostólica Católica Ortodoxa (ver DC-03), que dá jeito referir por uma questão de exibicionismo individual o qual por si mesmo se contradiz face à alternância de critério no modus vivendi de uma comunidade que se resume à sua pessoa e a uns quantos (poucos) sequazes vassalos, pelo que o regulamento não passa de “um faz de conta”.

04º - Reclama potestade canónica sobre o clérigo.

a) «O Senhor Ex-Padre Humberto Jorge Pereira Rolo, está excomungado e reduzido ao estado laical, Assim como os Pseudo bispos que o ordenaram em S. Frutuoso Coimbra pelo que Existe verdadeira potestade canónica sobre o referido clérigo;»
b) «Qualquer declaração contra o sentido da sentença proferida por quem de direito e que tenha sido emitida por quem não possuia nenhuma potestade canónica sobre o referido clérigo é falsa e lesa o bom nome da Pessoa Colectiva Religiosa, Igreja Apostólica Católica Ortodoxa(devidamente registada como tal)»

Muito nos admira que sr. Armando Monteiro, que emite um pseudo-decreto em 27 de Outubro de 2011 no qual afirma que o Priorado de São Jorge (actual Mosteiro Católico Ortodoxo de São Jorge Mártir) nada tem a ver com a IACO (o que é uma bênçâo), após a Sagrada Ordenação Presbiteral do Presbítero Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea), na Igreja Católica Ortodoxa Hispânica (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo), reclame inconsequentemente à posteriori legitimidade e canonicidade sobre a Comunidade e seu Superior, quando da mesma por escrito e publicamente havia prescindido, embora sem cumprir o que referem os Estatutos da sua comunidade eclesial, e pior, o facto de já estarem à data canonicamente Incardinadas na Igreja Católica Ortodoxa Hispânica (Patriarcado Ortodoxo Bielorrusso Eslavo), sob o Omofórium Patriarcal de S.S. Viktor Ivan I Busa (Prof. Doutor Vittorio Giovanni María Busa), IIº Patriarca Ortodoxo Bielorrusso e Iº Patriarca Ecuménico dos Eslavos.
Desta forma, e segundo se prova, o referido clérigo está sob a Autoridade Apostólica da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica e não sob a pretensa "autoridade" do sr. Armando Monteiro.
Que direito, autoridade ou potestade canónica possui o Sr. Armando Monteiro em relação aos clérigos do Patriarcado Ortodoxo Bielorusso Eslavo a cujo Omofórium  pertence a Igreja Católica Ortodoxa Hispânica?

05º - Acusa-o de ter faltado com a promessa de obediência, de romper a comunhão com a Igreja, e de público comportamento contra a verdade da fé, apostasia e excomunhão automática.

a) «RCArt.11: Têm direito de acusar a validade da sagrada ordenação o Bispo a quem o clérigo está sujeito ou o que presidiu à sua ordenação. São causas para a anulação: A falta com a promessa de obediência feita no dia da sua ordenação, romper a sua comunhão com a Igreja onde foi ordenado, e público comportamento contra a verdade da fé, apostasia, heresia e excomunhão automática»

Neste ponto, é bom esclarecer que, quando o sr. Armando Monteiro acusa o Sr. Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea) de «romper a comunhão com a Igreja», esta a referir-se a romper a comunhão com a sua comunidade eclesial (Igreja Apostólica Católica Ortodoxa) e com a sua pessoa, enquanto "arcebispo primaz" da referida associação.
Ora, por tudo o demonstrado até aqui e afirmado pelos representantes de várias comunidades religiosas credenciadas em Portugal (ver RN-01; RN-02; RN-03; RN-04), a comunidade fundada e dirigida pelo sr. Armando Monteiro não demostra estar em Comunhão com a Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica; em consequência de tal facto, romper a "comunhão" com tal associação não é romper a Comunhão com a Igreja Una, mas exactamente o contrário, ou seja, romper os laços com a apostasia e a heresia, para poder estar em PLENA COMUNHÃO com a Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica.
No que toca a acusar o o Sr. Padre Humberto Rolo (André I da Hispânea) de «público comportamento contra a verdade da fé, apostasia e excomunhão automática», cremos que por tudo o que foi demonstrado na resposta ao sr. Armando Monteiro, não necessitamos de voltar a respostar a tal acusação na qual única e simplesmente se deve rever o referido indivíduo.

06º - Acusa-o de ter recebido uma segunda ordenação presbiteral.

a) «RA68. Se um bispo, um presbítero ou um diácono recebe de alguém uma segunda ordenação, que seja expulso da ordem sagrada, tanto ele como quem o ordenou.»

Quando o sr. Armando Monteiro, acusa o Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea), de ter recebido «uma segunda ordenação presbiteral», esquece que tal é mentira à luz do artº 68 das Regras Apostólicas, que diz: «Se um bispo, um presbítero ou um diácono recebe de alguém uma segunda ordenação, que seja expulso da ordem sagrada, tanto o ordenado como quem o ordenou; salvo que seja fidedignamente conhecido que (na primeira ordenação) foi ordenado por herejes. Já que os que foram baptizados ou ordenados por esses, não podem ser clérigos nem fiéis». Ora, acreditamos que o sr. Armando Monteiro, numa atitude de delírio maníaco com excessos de "iluminação", unicamente pode ter faltado à aula de teologia, quando foram tratados temas como: apostasia e heresia. Assim, vejamos atentamente cada ponto:
a) apostasia, é o acto de apostatar, abandonar, abjurar publicamente uma religião por outra, abjuração, abandono de uma doutrina.
b) heresia, é uma doutrina contrária aos preceitos estabelecidos pela Igreja (entendendo-se aqui a Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, fundada sobre a Doutrina dos Doze Apóstolos e dos Santos Concilios Ecuménicos - os sete primeiro).
Ora, parece-nos bastante estranho, que um indivíduo que:
a) profana, desrespeitando a santidade do lugar de culto;
b) tem manifestações de carácter espírita (psicopraxia) durante a celebração da Eucaristia, que ocorreu em 15 de Fevereiro de 2004;
c) tem actos públicos de desrespeito para com um presbítero, em pleno lugar de culto;
d) vende "pedras ungidas com o Santo Óleo do Crisma" para protecção das pessoas;
e) vende "exorcismo" em troca de milhares de euros;
f) vende "rosas brancas com uma bênção especial do arcebispo", para levarem para casa;
g) faz trabalhos de "união de velas" representando figuras humanas para unir/separar casais;
h) realiza "bênçãos" em fotografias de defuntos para enviar as suas almas para o Paraíso; etc;
Em todos estes actos, vemos claramente apostasia e heresia, pelo que a ousadia do sr. Armando Monteiro em continuar a ignorar que os actos eclesiais por si praticados após o dia 15 de Fevereiro de 2004, carecem de validade, legitimidade e canonicidade, senão os anteriores. Ora, assim sendo, a "ordenação presbiteral" de Humberto Jorge Pereira Rolo, em 01 de Novembro de 2005, à luz do artº 68 das Regras Apostólicas, carece de validade absoluta.

07º - Acusa-o em tom de chacota de ter um novo nome religioso, e o título de Dom-Prior.

a) «Humberto Pereira Rolo agora se chama Dom Prior André, ou Dom Prior»

Quando as pessoas como o sr. Armando Monteiro tecem intrigas contra os demais, esquecem deliberadamente dos seus próprios actos. Este senhor acusa malévolamente o Presbítero Humberto Jorge Pereira Rolo, de ter recebido um novo Nome Religioso de «André I da Hispânea», forma pela qual é actualmente tratado, quando da sua Consagração Monástica, dentro da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica (ver DC-68), após ter formalmente renunciado ao seu nome anterior de "Aloysius", recebido na sua anterior comunidade eclesial, numa tentativa de desacredita-lo.

08º - Acusa-o de repetir os gestos da Santa Madre Igreja.

a) «Os falsos fernão e Laureano ordenam outro falso o excomungado humberto rolo tentam sempre repetir os gestos da Santa Madre Igreja»

Quando alguém que se diz "canónico arcebispo ortodoxo" como é o caso do sr. Armando Monteiro, estranha-nos que na sua prepotência, altivez e soberba, acabe por ter o despropósito de acusar o Padre Humberto Jorge Pereira Rolo (André I da Hispânea) de repetirem os gestos da Santa Madre Igreja, quando qualquer clérigo que seja verdadeiramente membro da Orbe Sacerdotal da Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, seja dentro da Santa Ortodoxia ou na Igreja Ocidental Latina (Romana), procura repetir sempre os gestos da Santa Igreja, segundo o previsto nos Ritos e nos Livros Litúrgicos. Ora, quando o sr. Armando Monteiro acusa os demais de repetir esses mesmos gestos, afirma uma verdade. Porém, a surpresa que o mesmo demonstra talvez se deva ao facto de se distanciar cada vez mais desses mesmos gestos em seus actos públicos (ver RN-02; RN-03; RN-04; RN-06; RN-10; RN-22; RN-24; RN-26; RN-28; RN-35; RN-48; RN-49), apesar de os copiar.

09º - Acusa-o de ser frequentador do Príncipe Real.

a) «DOU-LHES UM CONSELHO, COMO BONS FREQUENTADORES DO PRÍNCIPE REAL, PODE SER QUE OS AMIGOS DA BRICADEIRA LHE ARRANJEM UM ESPAÇO!!!»

No que respeita aos frequentadores do Príncipe Real, é de lamentar que o esquecido sr. Armando Monteiro, não recorde talvez em consequência de alguma amnésia, que chegou a frequentar várias vezes espaços de lazer, bares, discotecas e restaurantes na zona, assim como noutras localidades, conhecendo até pessoalmente pessoas com algum carisma na referida zona. Não fazemos ideia se os actos de lazer comportaram algum tipo de "bric-adeira", mas como as mesmas "bric-adeiras" são próprias de crianças ou de certos indivíduos que apesar da idade são mentalmente como elas, pelo que devem ter uma "tia" a vigiar o seu comportamente insano... Por outro lado, é triste não mencionar as várias casas religiosas existentes naquela zona lisboeta, como os Missionários Combonianos. Talvez um retiro numa delas fosse proveitoso para traçar novos e mais iluminados caminhos de fé...

Não será que o "bispo" herético deseja propositadamente manchar a sua reputação e o ministério do Sacerdote, como manchou o seu, encontrando-se por suas práticas realmente EXCOMUNGADO à luz das Regras Apostólicas e dos Concílios Ecuménicos?

 

Respostas de Padre Humberto Jorge Pereira Rolo
(André I da Hispânea)

Declaração sobre o blog "Os falsos exorcistas"

08 de Fevereiro de 2012

Transcrição do texto:

«Caros irmãos e fiéis
(...)
Com muita pena, vemos que pessoas ligadas ao passado, azedas, invejosas e moralmente doentes, estão sim ao contrário do que afirmam nos seus imaculados blog`s e sites, a semearem a discórdia entre os crentes. Jesus bem afirmou que haveria escândalo, mas ai de que por ele viesse, seria melhor que nem tivesse nascido. Só podemos aqui afirmar o mui sábio ditado português de que «a inveja é porca», e sobretudo suja a consciência já doente dos indivíduos mais néscios e cobardes que jamais conheci. Desde Novembro do transacto ano, temos vindo a assistir incrédulos a um rol de situações do mais baixo nível, sobretudo da parte daqueles que na Igreja devem sim ser exemplo de bom comportamento, coisa que não se concretizou e que só revela bem o nível moral e intelectual desses clérigos. Na Argentina nasceu um blog destinado à informação dos fiéis sobre seitas e comunidades eclesiais que se auto-denominam como ortodoxas e que ora carecem legitimidade ou reconhecimento, ora são meras fantasias de maníacos e burlões. Mesmo assim existem ali casos que demonstra uma certa «perseguição» a gosto de quem o escreveu, Nosso Senhor também não agradou a todos e crucificaram-no! Porém, em Novembro de 2011 «nasceu» a versão do blog em formato português, mas que o conteúdo apresentado revela logo que não passa mais de que lavar de roupa suja de elementos da chefia de uma certa comunidade intitulada Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, que aliás devia sim figurar nesta página, já que ninguém os reconhece, sejam Romanos ou legítimos Ortodoxos orientais. Tirando as calúnias apresentadas ao Arcebispo D.Paulo Laureano e ao Arcebispo D.Fernão Gomes, que já foram refutadas e com provas e documentos no site da Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, coisa que a IACO nunca fez, pois fala, fala, mas não apresenta nada que contradiga as provas que apresentamos contra as suas afirmações cheias de inveja e calúnia. Outra situação que se apresentou foi sobre a minha pessoa, Dom André, Vigário Apostólico de Aeminium, que passo desde já a refutar:
1-    Coloca por cima da minha foto retirada do blog sobre exorcismo em: exorcismo.bloguepessoal.com – o dístico de falso exorcista. Pergunto: Como sou falso exorcista, se sou sacerdote validamente ordenado; a anterior jurisdição da IACO ordenou-me a 1 de Novembro de 2005 e com documento próprio da Igreja em comunicado público com carimbo da instituição e sob assinatura do Arcebispo, permitiu-me a prática do ministério do exorcistado, que exerci sempre até à actualidade com conhecimento do superior. Aquando pedido de incardinação na actual jurisdição, devido a esta não reconhecer a validade dos sacramentos da anterior jurisdição, procedeu à reordenação sacerdotal e abençoou-me à ordem dos exorcistas. Os documentos estão no site da igreja e o de exorcista até está aqui no blog do exorcismo, pelo menos provo publicamente que a Igreja à qual estou agregado reconhece em mim publicamente o ministério do exorcistado. Ao contrário de certo arcebispo que acusa e nada prova, só diz que é, mas onde param os documentos?
2-    Faz em seguida «acusação» de que «agora» me chamo Dom André. Mas será que estou a lidar com crianças? Na Igreja Ortodoxa; e mesmo até ao Vaticano II na Ig. Romana; é comum e de praxe que o monge se dispa do homem velho e se despoje de tudo o que o liga ao mundo, até do nome civil. Ao renovar os votos no passado ano, a actual jurisdição impôs-me o nome de André e foi por desejo do Arcebispo D.Paulo que o passasse a usar, pois ninguém tem culpa que no século me chame Humberto e isso cause confusão em alguns fiéis, que muitas vezes pensam tratar-se do famoso «padre» Humberto Gama e para evitar confusões, assim o aceitei em obediência. Recordo isto porque quem me acusa, hoje é Armando, amanhã é Gabriel II, ao telefone é Padre Jorge, e na «noblesse oblige» é Alexander, Bourbon, Lascáris, Kostamonte, etc. Depende do dia e da vontade! E sim, como Vigário Apostólico e segundo documento também publicado pela minha actual jurisdição tenho o tratamento de «Dom», que quem me conhece bem aqui nas comunidades a que presido sabe que isso não aumenta nem diminui em nada o padre que sou para esta gente.
3-    Por último acusa-me de que afirmo que sou da Igreja Católica Ortodoxa e fui «expulso» dela? Caros senhores de Lisboa, que andais a beber na «missa» que celebrais? Ou abusais de substâncias ilícitas no incenso? Isto só vem de encontro à fantasiosa «excomunhão» que o mesmo Arcebispo proferiu, que além de maldosa, não teve processo de tribunal eclesiástico, e nem vou tocar mais nisso pois quem quiser reveja no site da Igreja, nos comunicados da Sé Apostólica, a contra-argumentação desse pseudo-documento. Se a anterior jurisdição se designa por Igreja Apostólica Católica Ortodoxa e a actual por Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, acho que aqui ou houve erro de análise ou de casmurrice na certa. E pergunto novamente: onde está o documento que mantenha esta afirmação? Pois é, tiros ao ar e vozes de burro que não chegam ao céu.
4-    Confirma-se que estas acusações são da anterior jurisdição IACO, por tocarem nos «falsos exorcistas», blog que foi criado por um alfacinha de gema, que segundo estou informado por fiéis e amigos de Lisboa, tem contactos próximos ao Patriarcado de Lisboa e à própria Nunciatura e que reuniu as «aventuras» do Arcebispo Armando, do «Padre» Gama entre outros e documentou bem as acusações, e confesso publicamente que pena tenho eu que tal blog não tenha sido criado por um dos membros da nossa Igreja, aproveito para louvar e agradecer ao Sr.Francsico Jorge tão meritória iniciativa. Se eu não apareço no rol dos falsos, é porque algo devo estar a fazer bem com os meios que a comunidade dispõe e não é à toa que padres romanos estão a enviar-nos casos para exorcismo, isso só demonstra o crédito que estamos a ter perante outras comunidades cristãs, sobretudo nos católico romanos que nos têm procurado! E pois assim é, que o lavar de roupa não é mais que vingança sobre a minha pessoa, sobre as comunidades que presido e que se quiseram libertar de tal chefia herética, só estranho que acusem os outros de tudo e afinal acabam também por não dar a cara e pior não refutam, não justificam, não provam tal como temos feito perante as acusações com documentos e testemunhos credíveis de quem sabe disto e de muito mais. Em conclusão: É com pena que estamos a gastar o nosso tempo nesta mixórdia, pois como diz o povo que quanto mais se mexe na porcaria, mais mal ela cheira, mas enfim o que tem de ser, tem de ser! Aqueles que nos acusam deviam ter vergonha na cara, pois nesta comunidade e jurisdição não andamos a fazer as tristezas públicas que outros fazem, não inventamos milagres, anúncios, não mandamos clérigos à televisão fazerem figuras tristes, não nos exibimos como os melhores, os mais santos nem os mais rectos. Não somos alvo de críticas incessantes, não desesperamos por reconhecimento público, não caçamos clientela com anúncios em jornais e revistas, não precisamos de colocar santas a «chorar», nem de nos armamos em «Padre Pio» nas missas para nos afirmarmos místicos. Não vendemos Trintários e Missas a metro, não recusamos auxiliar quem nada tenha para dar à Igreja e não precisamos de óleos santos feitos com «lagrimas» e de os chamar das «chagas de cristo»… Se não souberam apreciar e estimar o padre que fui no meio de vós em Lisboa, temos pena, mas entristece-me ouvir os vossos fiéis ainda hoje volvidos quase 5 anos da fundação de Coimbra, dizerem que nunca mais houve catequeses, nem aulas, nem confissões, nem NADA!!! Hoje sim, perante os vossos ataques, a vossa cobardia, o vosso veneno, mentiras e calúnias, sinto-me muito mais forte, tal como S.Paulo dizia que era na fraqueza que era mais forte, e ainda mais vos digo: podem continuar com o teatrinho burlesco, os fiéis não são cegos e a verdade tal como o azeite vem ao de cima, e não me faço aqui de pobre coitado e fazer-me de vítima, tal como alguém conhecido que chora das suas inocências… e com documentos, jornais, televisão e tribunais a provarem precisamente o contrário; antes caros senhores, ORGULHO-ME de todo o vosso desprezo, só justifica que o que estou aqui a construir com os monges e fiéis é válido e abençoado por Deus! Gamaliel perante o Sinédrio afirmou que deixassem S.Pedro em paz e ele que pregasse a mensagem de Jesus, pois se for obra dos homens ela morrerá, mas for obra de Deus, triunfará sobre todo o mal que se lhe possa fazer! Assim caros hipócritas, escondidos com o rabo de fora, não vos temo! Não vos guardo nem ódio, nem rancor, guardo sim mágoa e tristeza por vos ver pobres de espirito, podres de coração, falsos de fé, vossa palavra é como cinza que o vento leva, e as vossas existências hão-de se apagar das consciências, e o julgamento divino quão pesado será para vós que semeais a discórdia, quando pelo que assumis fazer em nome do Altíssimo, devia ser sim sinal de paz, de fraternidade e união? Pensais que estais a destruir a obra do Mosteiro, desenganai-vos, não somente eu, mas monges e fiéis, já manifestaram o seu apoio e ainda mais resolutos estão nas suas determinações de servirem a causa de Deus! Graças a Deus, que mesmo na perseguição, o Senhor Deus confirma a fé e a vontade dos seus filhos na perseverança da salvação. Pensais que nos derrotais? Esqueçam! Com todo este teatro ainda fazeis muitos mais caminhar para o céu, ou nunca aprendestes que a perseguição multiplica os santos? Bem-aventurados quando vos insultarem, vos perseguirem e mentindo, disserem todo o género de calúnias contra vós por Minha causa, pois vosso é o Reino dos Céus. Deus vos abençoe hipócritas, falsos cristãos, orai por mim que o mesmo farei por vós! Perdoo-vos de coração! Pai… eles não sabem o que fazem! Ámen.
(...)
3 Comentários:
(...)
exorcismo Fri 01 Feb 2013 22:50
Caro Miguel, infelizmente pessoas há que se pudéssemos apagar da memória e existência das nossas experiências, Armando Monteiro seria uma delas. Histórias ligadas a este sr. abundam, mesmo que algumas exageradas, mas mesmo as provadas com tribunal, publicações em jornais e revistas, só essas dão-me náusea até ao vómito. Hoje eu e alguns antigos colegas sacerdotes que passámos na igreja deste senhor reconhecemos que foi tempo desperdiçado em prol de um tipo como este. D.joão despachou-o ao estalo, eu despachava-o era à paulada!
(...)
Miguel Kessler Thu 17 Jan 2013 19:20
«D.» Armando... «Igreja», «Apostólica», «Católica» e «Ortodoxa»!!! E, ainda por cima... GABRIEL... «II»!!!!... Supõe-se que arrogado «sucessor» do Metropolita Gabriel (Eduardo Pinto da Rocha), conforme o impagável site desta... Hum... «IACO»!
Já sei donde lhe veio o «II», foi decerto das «energias incriadas» que recebeu do contacto directo mais próximo que teve com o Metropolita Gabriel, imediatamente antes de deixar de ser seu rasophore no primevo mosteiro em Sintra: o valentíssimo par de estalos em que se concretizou a sua «benção» de despedida...
(...)
Arcebispo Dom Fern&atild Wed 15 Feb 2012 05:28
Pessoas há na nossa vida que melhor fora não as tivessemos conhecido, Armando Monteiro é uma delas! Não tenho qualificação científica para afirmar que se trata de mais um caso patológico, mas afigura-se-me que seja. Quem se senta numa vulgar cadeira, no vão de uma janela e chama aquilo "TRONO", se embrulha numa capa cujo tecido brilhante (estilo roupa de crico) e se autoproclama Principe de KOSTA MONTE e várias ridículas designações, depende da inspiração do momento, certamente não me parece estar no uso pleno das suas faculdades mentais. Só um Tribunal poderia ordenar um atento exame nas áreas da psicologia ou da psiquiatria, e após as conclusões dos mesmos deliberar a justa e douta sentença. O chorrilho de mentirras, disparates e figuras ridículas não é infinito, mas é imenso e pelos vistos imparável, até quando?»

(http://exorcismo.bloguepessoal.com/399441/Declaracao-sobre-o-blog-falsos-ortodoxos/)


Ora o caro amigo teima com a máscarada!

07 de Fevreiro de 2013

Transcrição do texto:

«(...)
Ora o caro amigo teima com a máscarada! Armando tenha juízo que tem 55 anos em cima não 18... mania da
perseguição??? De dizer a verdade ao publico!?
Vem com historietas das reuniões clericais com informações de
conversas que se passavam em exclusivo na sacristia, como poderia um simples leigo saber disso... aprenda ao
menos a mentir para ser convivncente, coisa que não sabe! Deve ter faltado essa cadeira nos numerosos «cursos»
que tirou! O próprio senhor foi o causador da criação desta casa em Coimbra, tal como em Marinhais, esquece-se do
que disse aos padres em certa ocasião:«querem igreja trabalhem e sustentem-na», ora somente aproveitámos a
ordem de «partida», tal como o Fr.Miguel em Marinhais, mas ao contrário de nós, esse de marinhais seguiu os seus
passos e deu-se mal, não foi???
E antes de vir para Coimbra em meados de 2008, começou a saída dos elementos da
futura comunidade, pois não quiseram estar sob sua despótica autoridade... mas a sua arrogância é tanta que nunca
admitiu que o adandonassem, e fez-se sempre de vitima, quando foi o causador de tudo! Fala de falta de obediência,
de más condutas, etc, e esquece-se dos terriveis maus exemplos que a todos nos deu. À saída dos padres e diáconos
recorde-se que tirando o senhor, eu fui o seu único padre (literalmente em toda a sua igreja) por mais de 6 meses
,
foi quando entrou depois o fr.miguel. Ou deseja que eu convoque os demais clérigos: fr.Tiago (antonio), fr.Marcos
(alvaro), fr.Rafael (Rui), D.Paulo entre outros aqui à discussão? E ainda tem a lata de falar de gerência de ordenados,
quando sabe bem que os monges têm de trabalhar para a devida sustentação da casa monacal! Haja paciência para
acusações tão sem nexo nem base! Pepinanços... somente aqueles a que o senhor já está habituado! E quanto ao
Mons.Alvaro, invente outra que essa não pega! Aventuras? Somente esta de perder tempo consigo! Quanto ao Dom
Paulo, é triste ver logo você Armando de rabo de fora a acusa-lo dos titulos, quer que apresentemos os seus...
Arcebispo, Patriarca, médico, terapeuta, psicologo, principe, duque, sexologo, reitor, director, doutor, etc, etc... só
não me perco com as indvidualidades de cada titulo porque não conseguiria escrever e rir ao mesmo tempo!!!
Fala de
perseguição, mas creia-me senhor armando, se estivesse quieto no seu canto a fazer o seu «trabalho pastoral» com
convicção faria melhor figura. Sabia que o orgulho é um dos sete pecados capitais; somente a relembrar não vá no
meio de tanto curso e conhecimento dar-lhe uma branca; então pense bem no que está aqui a fazer! Eu ao menos
assumo publicamente um passado nas suas mãos, do qual não me orgulho nada, se a sua raiva era a de me querer
espezinhar como já de passado fez a outros, olhe vá tentando... mas recorde-se da lei do retorno; e isto deve-lhe ser
sobejamente conhecido, se ao lado dos sacramentos da igreja faz coisas até anti-liturgicas no exorcismo como fotos
kirilian, velas de cores, fechar cofre, missas carismáticas (muito ortdoxo não haja duvida), amuletos, pedrinhas e
cristais, runas e tarot (isso assisti eu pessoalmente e os que acusa de o terem «abandonado»)... e depois ainda se
questiona e se revolta sobre porque lhe virámos costas?
Esquecesse do que fez ao D.paulo, quando lhe colou um
autocolante nas costas com uma cena de sexo explicito e andou a passear na baixa com ele até aí ao seu «santuário»
e de como ele foi alvo de chacota a começar por si!!! Ou do que dizia de uns e outros (dos padres) e depois ainda
tinha coragem de desmentir na cara das pessoas! De como denegria a imagem das pessoas (fiéis) que num passado
o ajudaram e depois de se afastarem (porque abriram os olhos) ainda as acusava de ingratidão!?
Mas enfim você
gosta disto não é? Da peixeirada, do baixo nivel (ao qual infelizmente tenho de descer, mesmo que contrafeito), da
vulgaridade, do lavar de roupa. Mas olhe Armando, compare as noticias do seu passado com as que possam haver
acerca de D.paulo, D.fernão ou eu mesmo! Burlas...humm, não há! Prisões efectivas... também não! Acusações de
assédio sexual e fogo posto, Deus nos livre (somos fracos e pecadores, mas não loucos)! Falsos milagres... não temos
santas que choram soro fisiologico, nem nada similar (deve ser porque na sua boca somos «os falsos» não é?).
Páginas de blogs a denegrirem outros sacerdotes como falsos... temos mais que fazer do que o aturar! Falsas
identidades... se o nome religioso contar aí sim somos culpados, mas felizmente ainda não chegámos ao seu ponto de
ser: Arcebispo Armando (este pelo menos é verdadeiro, embora o título), Alexis, Alexander, Padre Jorge, Frei Jorge,
Gabriel II e Petrus I da Ibéria, de se arrogar de ser Lascaris, Vatatses, Kostamonte (arranjo dos nomes pessoais
Costa Monteiro), Bourbon, Nicomédia, etc, etc... e concluindo, imagino que a sua raiva seja imensa perante aqueles
que lhe conhecem a careca, sim careca literal, porque ainda no meu tempo deve-se recordar que foi fazer um «fio de
ouro» para puxar rugas e uns implantes de cabelo, além de unhas e afins com tratamentos nada baratos, ora bem...
a vaidade também é uma dos sete pecados capitais, a não ser que isso não apareça no seu compêndio de catequese!

Mas evidente, para o cansaço de um homem tão trabalhador e pastor, para quem suporta cruz tão pesada, uns
momentos de relax são sempre bem vindos! Pode escoiciar à vontade, somente está a dar novos capitulos aos
leitores aqui do forum. Ah! Lembrei-me, a sua raiva deve ser resultado também das respostas do D.Paulo aos seus
blogs muito giros acerca de nós e que os leitores podem consultar em - Comunicados da Sé Apostólica - do site da
Igreja Católica Ortodoxa Hispânica, em que se refuta e ao contrário de si, com provas, tudo aquilo de que nos vem
falsamente acusando! Acaso esquece-se que toda e qualquer Igreja Ortodoxa tem de estar sob autoridade de um
Patriarcado? A nossa está, mesmo que você afirme que é «falsa»; pois bem desminta aqui se tiver ousadia a tal que
no Brasil ainda há pouco foi restaurado o Patriarcado Católico Ortodoxo na pessoa do Arcebispo Primaz do Brasil da
Igreja Bielorussa-eslava ( a cujo Patriarcado pertencemos e cujo Patriarca actual é Viktor Iván Busá) e essa
nomeação sim com presença de Colégio Episcopal, não foi como a sua auto-proclamação como Patriarca da Ibéria,
quando mesmo o seu secretário foi a bispo pelas suas mãos, quando mesmo a sagração episcopal tem de contar com
a presença minima de dois bispos... agora diga-me: que bispo ortodoxo no seu perfeito juízo se aliaria a si??? Até em
jornais veio a informação que o bispo que o sagrou (D.Milton Cunha) se arrependeu e se afirmou enganado por si! E
finalizando que a dissertação já vai mais que longa, ainda quer fazer-nos acreditar que é tão altruísta, que se afasta
de confrontos como este, quando as informações que dá somente pessoas do clero as teriam! Quem o conhece, sabe
bem que você é capaz disto e de muito, muito mais!

(...)
Caro Mephisto, os titulos de D.paulo foram-lhe atribuídos quer atravês da Igreja, quer atravês de entidades oficiais.
Se o Papa também exibisse toda a longa lista dos seus títulos era um sem fim deles, ou então peça a Armando
Monteiro, que ao menos sempre dá para rir um pouco! Ele afirma-se descendente directo da familia imperial
bizantina, pesquise e ria-se...ou chore na pior das situações!
(...)
Caro Mephisto, essa de fundar-se igreja em 2004... perdi-me nas datas de certeza! A Igreja de Armando Monteiro foi
iniciada em 1990, mais coisas menos coisa. A minha actual jurisdição - Igreja Católica Ortdoxa Hispânica - foi
registada publicamente em Portugal em 2006, depois de pedido formulado ao Patriarcado Bielorusso-eslavo; que á
data não tinha representação em Portugal; mas cujo inicio do Patriarcado tem basicamente 100 anos de existência
fora de fronteiras russas, mantendo igrejas filiais por todo o mundo, tal como Roma, Constantinopla, Moscovo e
outros partriarcados. A minha actual jurisdição tem é pena, e isso falo em nome dos meus confrades, de reunirmos os
antigos padres diáconos e clérigos de Armando Monteiro, pois segundo a lei canónica padre sem estar submetido a
um bispo não pode exercer o seu ministério. Lodo aqui somente o que se passa na igreja do dito senhor. A minha
comunidade monástica e paroquial desde 2008, data da sua criação (aqui chama-se erecção canónica, não é
fundação de uma igreja particular) nunca me deu a mim nem aos superiores estas dores de cabeça ou escandalos de
que especie fosse! O que tenho relatado aqui foi do periodo que me mantive ligado a armando monteiro entre 2003-
2011. Mas efectivamente desde 2008, data em que vim para Coimbra.
(...)
Certo Mephisto! Mas como atrás já outra pessoa afirmou, vê no meu esforço criar transparência sobre um assunto
melindroso. Vir a publico dar a cara é tudo menos vergonhoso, qando se tem a consciência tranquila. Respondi a
todas as questões, não andei aqui a ocultar-me atrás de pseudónimos que quem ler bem esses textos do Tiago 18, se
fosse um simples fiel da igreja como pdoeria ter acesso a certas informações? Como muitas vezes afirmo, se me
querem mentir sejam ao menos inteligentes para tal, coisa que a pessoa em questão não sabe mesmo! Quanto ao
bom nome, seja meu seja da minha actual jurisdição eclesiástica, já no nosso site defendemos e provamos por A + B,
que nada escondemos, somos canónicos, temos Patriarca e colégio episcopal próprios, etc. Se acaso a igreja do dito
senhor é assim também, então demonstre!!! Prove como os meus bispos assim já o fizeram! Mephisto, compreenda
que tudo começou por um acto de mera vingança e teimosia, quando desde o principio quis foi distância de tal
criatura, nunca me revi no seu trabalho dito de «exorcista» e nunca aceitei que o mesmo misturasse tretas pagãs
com as coisas de Deus! Somente dei a cara porque se não me engano foi a Ligeia me colocou «ao molho» entre
armandos e gamas, quando não faço nem de longe o que eles fazem! Sirvo a Igreja segundo as regras e nada mais!
Basta ver no blog da minha comunidade sobre exorcismo o que lá escrevi sobre «ir ao exorcista» e compare a minha
posição (que se alinha a exorcistas de renome como Fortea e Amorth) e a posição de armandos e gamas.»

(http://portugalparanormal.com/index.php/topic,23997.75.html)


Home / Comunicados da Sé Apostólica / Biografias Gerais / Canonicidade Bielorrussa Eslava


Última actualização deste Link em 29 de Junho de 2015